SETEMBRO – MÊS MUNDIAL DA DOENÇA DE ALZHEIMER

por José Carreira | 2017.09.11 - 09:47

 

 

A demência é um desafio enorme para um número crescente de famílias, uma das principais causas de Dependência e Incapacidade. Não podemos ignorar o impacto devastador nas pessoas com demência, nas famílias, nos cuidadores e nos sistemas de saúde e de proteção social.

“A Doença de Alzheimer é silenciosa e entra como um tsunami nas famílias” (Antonio Ortín, jornalista e parceiro do fotógrafo Alejandro Hurtado no projeto Caminho da Memória).

Desde de 2012 que se assinala, em setembro, o Mês Mundial da Doença Alzheimer, sendo 21 de setembro o Dia Mundial da Doença de Alzheimer.

A Alzheimer´s Disease Internacional informa que 2 em cada 3 pessoas considera que há pouca ou nenhuma compreensão da demência nos seus países.

De ano para ano, verificamos que as diversas iniciativas, realizadas no mundo, para captar a atenção da comunidade, ganham maior impacto.  Contudo, apesar dos progressos, há ainda muito trabalho para fazer no combate ao estigma; informação e formação.

Temos que agir hoje, trabalhar, afincada e concertadamente, na prevenção para que possamos dar melhor qualidade de vida às pessoas com demência, famílias e cuidadores.

Segundo os últimos dados publicados na revista científica The Lancet, é possível evitar um em cada três casos de demência, se forem controlados os fatores de risco como a obesidade, a diabetes, a hipertensão e se for promovida a atividade física e fomentado o contacto social.

Durante o mês de setembro, são múltiplas as iniciativas que visam sensibilizar a comunidade para a importância dos sinais de alerta; do diagnóstico atempado; da criação e implementação do Plano Nacional para as Demências, Estatuto do Cuidador, Comunidade Amiga das Pessoas com Demência.

No dia 01 de setembro, foi lançada a campanha com o mote “A memória que eu gostaria de guardar…”, com um vídeo do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa e que conta também com o testemunho de várias figuras públicas. O desafio é que cada português grave um vídeo que comece com a frase “A memória que eu gostaria de guardar…”, partilhe-o nas redes sociais usando as hashtags #memoriasparaguardar e #passeiodamemoria e desafie 3 amigos para fazer o mesmo (a cada três segundos há mais uma pessoa no mundo com diagnóstico de demência).

Nos dias 16 (Viseu); 17 (Aveiro, Barreiro, Beja, Cabeceiras de Basto, Matosinhos, Oeiras, Portimão, Póvoa de Varzim, Resende, Tavira, Viana do Castelo, Vila do Conde); 21 (Pombal) e 24 (Alcochete, Braga, Campo Maior, Lagos, Penafiel) realiza-se, em 19 pontos do país, a 7.ª Edição do Passeio da Memória (http://passeiodamemoria.org/pt/).

De 18 a 22 realiza-se, em Lisboa, a Cimeira Mundial Pesquisa e Cuidados de Alzheimer (https://alzheimersummitlisbon2017.com/pt), um encontro com 80 especialistas da área de Alzheimer e doenças neurodegenerativas, dos quais se destacam os prémios Nobel, Richard Axel e John O’ Keefe, e ainda o neurologista português António Damásio, bem como o especialista em demência Vladimir Hachinsky.

No dia 21 realizar-se-á, no Fórum Lisboa, o Concerto Solidário que junta 13 artistas portugueses e tem como objetivos: angariar fundos para a Alzheimer Portugal; reforçar a importância de as demências serem consideradas uma prioridade de saúde pública.

No dia 22, na Madeira, terá lugar a Conferência Da ação refletida à mudança: respostas adaptativas face ao envelhecimento perturbado.

Convido todos os portugueses a participarem nas iniciativas que contribuirão para dar visibilidade a uma causa que é de todos nós.

AJUDE A NÃO ESQUECER E NÃO SERÁ ESQUECIDO!!!