E se… “Voar toscamente sobre os problemas”

por Norberto Pires | 2018.02.08 - 10:12

Neste programa são citados dois exemplos que mostram a completa ausência de estratégia de Coimbra para o futuro. Nem é um problema de agora, da atual gestão da câmara, nem algo que queiramos relacionar com o partido A ou o partido B. É um problema de ausência de reflexão estratégica e de decisões que sejam entendidas como coletivas, de forma a que sejam realizadas seja qual for o ciclo político. Sem essa reflexão, capacidade de compromisso e visão a longo-prazo, o caminho de degradação e insignificância que Coimbra tem seguido manter-se-á.

Fazemos ainda uma simples comparação com Londres. Uma cidade em tudo diferente a Coimbra, até na atitude competitiva e na capacidade de perceber que o sucesso é o resultado do trabalho diário e não se pode desleixar na atividade de construir a melhor cidade do mundo para se viver, trabalhar, estudar e fazer turismo.

O convite é para que comparem com Coimbra: a cidade que já quis ser capital de tudo sem ser consequente com esses desejos, que se comporta como uma muito pouco humilde Aristocrata falida e que, por alguma razão misteriosa, desenvolveu a ideia de que os outros é que a têm de a procurar. Ficou, portanto, só – com a sua vaidade e falta de humildade – e não parece ter a noção do caminho de degradação e insignificância que está a seguir.

O “London Invest” ajudou, só em 2017, quase 300 empresas internacionais a instalar-se em Londres. Compare com Coimbra. Veja a diferença de atitude, de comportamento e de preparação para o investimento. Custa aprender?

 

Voar toscamente sobre os problemas

Voar toscamente sobre os problemasNeste programa são citados dois exemplos que mostram a completa ausência de estratégia de Coimbra para o futuro. Nem é um problema de agora, da atual gestão da câmara, nem algo que queiramos relacionar com o partido A ou o partido B. É um problema de ausência de reflexão estratégica e de decisões que sejam entendidas como coletivas, de forma a que sejam realizadas seja qual for o ciclo político. Sem essa reflexão, capacidade de compromisso e visão a longo-prazo, o caminho de degradação e insignificância que Coimbra tem seguido manter-se-á.Fazemos ainda uma simples comparação com Londres. Uma cidade em tudo diferente a Coimbra, até na atitude competitiva e na capacidade de perceber que o sucesso é o resultado do trabalho diário e não se pode desleixar na atividade de construir a melhor cidade do mundo para se viver, trabalhar, estudar e fazer turismo.O convite é para que comparem com Coimbra: a cidade que já quis ser capital de tudo sem ser consequente com esses desejos, que se comporta como uma muito pouco humilde Aristocrata falida e que, por alguma razão misteriosa, desenvolveu a ideia de que os outros é que a têm de a procurar. Ficou, portanto, só – com a sua vaidade e falta de humildade – e não parece ter a noção do caminho de degradação e insignificância que está a seguir. O “London Invest” ajudou, só em 2017, quase 300 empresas internacionais a instalar-se em Londres. Compare com Coimbra. Veja a diferença de atitude, de comportamento e de preparação para o investimento. Custa aprender?

Posted by COIMBRA CANAL on Mittwoch, 7. Februar 2018

Professor Associado da Universidade de Coimbra foi Presidente do Conselho de Administração do Coimbra Inovação Parque e Membro do Conselho Nacional para a Ciência e Tecnologia. Possui Mestrado em Física Tecnológica e Doutoramento em Robótica e Automação pela Universidade de Coimbra. É o Editor do jornal "Robótica". Autor de cinco livros na área da robótica e automação tendo publicado mais de 150 artigos científicos e tecnológicos.

Pub