A Filosofia nas escolas do 1.º Ciclo

por Manuel Ferreira | 2017.04.03 - 14:54

 

O mundo e a vida não deixaram de ter mistérios e de nos continuar a espantar face às suas imprevisibilidades e insólitos.

A complexidade dos problemas no mundo são cada vez mais crescentes e revelam-se no avolumar de experiências sociais fortes, onde a natureza das relações humanas é fator decisivo para a preservação da dignidade humana, como móbil da maturidade das sociedades e no desenvolvimento equilibrado dos contextos sociais.

Contudo, para que este rumo ganhe volume nas decisões da humanidade, é fundamental pugnar-se pela construção de um perfil de identidade pessoal e social que saiba potenciar a capacidade de pensar, de sentir e de agir do Homem,  valorizando o humano. Este modelo de pensamento pode, assim, consolidar-se se existir uma forte aposta na educação e formação de base dos jovens, em que as crianças são desde cedo ensinadas a saber ouvir, a pensar, a desenvolver o espírito crítico, a capacidade de reflexão e o trabalho em equipa.

Deste modo, a par da instrução, da informação, as políticas educativas devem cada vez mais promover capacidades e competências que habilitem os indivíduos a saber selecionar, interpretar e usar os conhecimentos que lhes são disponibilizados formal ou informalmente.

É neste campo que a Filosofia aparece como uma mais-valia na recente flexibilidade curricular que o Governo apresentou para as escolas do 1.º Ciclo. Pela natureza dos seus conteúdos e metodologias, a Filosofia apresenta-se como uma oferta complementar enriquecedora, capaz de motivar para a aprendizagem, incrementando níveis de autoconceito e de autoestima, essenciais para a construção de uma personalidade que, no futuro, demonstre confiança e autonomia.

A Filosofia pode, assim, servir neste quadro como introdução e vivência de temas sensíveis e delicados, permitindo uma análise multifacetada da realidade e o desenvolvimento de capacidades transversais, facilitando o encontro de eventuais respostas para problemas críticos e comuns a todos os seres humanos.

Manuel Ferreira tem 49 anos e nasceu em Lamego. Casado, dois filhos. É licenciado em Filosofia pela Universidade de Letras do Porto. Possui a Especialização em Administração e Gestão Escolar e é Mestre em Filosofia em Portugal e Cultura Portuguesa.
Militante socialista desde 1996, foi membro da Assembleia Municipal de Lamego entre 1997 e 2001 e Secretário do Gabinete de apoio do pessoal do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lamego entre 2001 e 2005 e membro da Comissão Política durante vários anos.
Atualmente é Presidente da concelhia de Lamego do PS e membro da Comissão Política da Federação de Viseu.

Pub