10 milhões de euros para atrair empresas em 43 concelhos que estão a braços com a tarefa de reconstrução?

por Norberto Pires | 2018.02.13 - 22:30

Mas ninguém pensa no que anda a fazer?
Os fundos comunitários são para deitar fora?

A CCDRC acabou de lançar um aviso de concurso de sistemas de incentivos que tem como objetivo “ATRAIR NOVO INVESTIMENTO EMPRESARIAL E EMPREGO PARA OS TERRITÓRIOS AFETADOS PELOS INCÊNDIOS”.

O aviso especifica que:
1) Se destina aos concelhos da região centro especialmente afetados pelos incêndios do verão e do outono (43 concelhos no total): Abrantes, Alvaiázere, Ansião, Arganil, Carregal do Sal, Castanheira de Pera , Castelo Branco, Castro Daire, Covilhã, Ferreira do Zêzere, Figueiró dos Vinhos, Fornos de Algodres, Fundão, Góis, Gouveia, Guarda, Lousã, Mação, Mangualde, Mira, Miranda do Corvo, Mortágua, Nelas, Oleiros, Oliveira de Frades, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Penacova, Penela, Proença-a-Nova, Santa Comba Dão, Sardoal, Seia, Sertã, Tábua, Tondela, Trancoso, Vagos, Vila de Rei, Vila Nova de Poiares, Vila Velha de Ródão e Vouzela;

2) Pretende apoiar projetos destinados a instalar novas empresas e criar emprego;

3) A dotação orçamental é de 10 milhões de euros (LOL) com 40% de incentivo (+10% de diferenciação positiva): LOL;

Fico absolutamente abismado com tudo isto. Então os concelhos estão em processo de arranque muito problemático de reconstrução (o REPOR tenta apoiar a reconstrução com 70% a 85% de incentivo, mas não chega às empresas e a desorganização é evidente), deprimidos e apresentando elevados índices de desânimo, e a CCDRC pensa que estão criadas as condições para um aviso deste tipo?
Sem estratégia?
Com esta taxa de incentivo?
Mas, mas, mas… isto é tudo feito com os pés???

Mas ninguém nos vários concelhos lê os avisos ou participa na sua elaboração?
Não fazem perguntas?
Não tem uma palavra a dizer?
O Concelho Regional do Centro foi ouvido?
Concordam?

Não percebem que isto só interessa aos inovadores e investidores oportunistas que andam à procura de incentivos?

Não faria sentido ter uma estratégia conjunta que tenha como objetivo reconstruir, criar mecanismos de diferenciação, sinergia e cooperação intra-regional, que depois explore possibilidade programas de financiamento bem desenhados?

Estamos a falar de ATRAÇÃO DE INVESTIMENTO.

Isso não se faz assim, em cima do joelho, sem o mínimo de reflexão, estratégia e capacidade de agregar os vários concelhos da região.

Confessem lá, isto dos fundos comunitários anda em roda livre e sem estratégia, certo?

É só favores e jeitos para manter lugares e nada resolver?

Certo?

Já agora, quem desenhou este aviso falou com alguém? Acordou este aviso com os concelhos que pretende envolver?

Ou seja, fazendo a pergunta de outra forma, na região centro as pessoas falam umas com as outras, ou é tudo em cima do joelho?

 

10 milhões de euros para 43 concelhos dá, em média, 233 mil euros por concelho, com uma taxa de incentivo máximo de 50%. Isso significa um investimento total de 466 mil euros por concelho para atrair novas empresas para concelhos que têm em mãos um gravíssimo problema de reconstrução.

Qual é a ideia? Fazer de conta?

Gastar dinheiro por gastar?

O Governo de António Costa concorda com isto?

 

Linkhttp://www.ccdrc.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=3102%3Acentro-2020-abre-novo-concurso-para-atrair-investimento-empresarial-e-emprego-para-os-territorios-afetados-pelos-incendios&catid=1566%3Anoticias-sp-269&Itemid=756

Professor Associado da Universidade de Coimbra foi Presidente do Conselho de Administração do Coimbra Inovação Parque e Membro do Conselho Nacional para a Ciência e Tecnologia. Possui Mestrado em Física Tecnológica e Doutoramento em Robótica e Automação pela Universidade de Coimbra. É o Editor do jornal "Robótica". Autor de cinco livros na área da robótica e automação tendo publicado mais de 150 artigos científicos e tecnológicos.

Pub