O “Pai dos Pobres”…

por Paulo Neto | 2017.09.30 - 22:49

 

Neste fim de campanha estive presente em dois comícios e fui testemunha atenta do seu decorrer.

Um no Sátão, do partido Pela Nossa Terra, encabeçado por Acácio Pinto. O outro em Sernancelhe, do PSD, encabeçado por Carlos Silva Santiago.

Este tem obra feita e alento para fazer mais. Aquele quer fazer obra e só precisa da oportunidade para tal.

Havia centenas de pessoas no Largo de S. Bernardo, no Sátão e no Exposalão Multiusos, em Sernancelhe. Ouvi falar gente séria, pulsante de genuinidade, energia, verdade e dinâmica.

Porém, por esse território fora encontra-se uma proliferante variedade de candidatos com outros discursos. Até aqueles que se “emocionam” quando os munícipes os apodam, à porta da autarquia, de “Pai dos Pobres”…

Que diabo, um autarca não deveria ter pobres no seu território onde esbanja milhões em festarolices. E se tem, ser seu “PAI”? Isto é tão bolorento, bafiento, salazarento… Credo, valha-nos São Mateus, patrono da Viseu Mais…

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=933808780093822

set=a.681096115365091.1073741841.100003941259809&type=3&theater

 

E também há os que vão sempre à boleia da oportunidade – o Compadre Zacarias chama-lhe oportunismo – e se colam ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que sempre criticaram, e agora pela sua popularidade, a escassas horas das eleições, pedem-lhe boleia. Em Lisboa, uma Teresa Leal Coelho…

https://www.jn.pt/nacional/interior/marcelo-nao-perdoa-tentativa-de-manipulacao-de-teresa-leal-coelho-8808973.html

Esta pluralidade de estratégias é boa. Serve para melhor apreciarmos alguns e excelentemente percebermos os “outros”.

Até amanhã e…. vá votar!