O figurão Almeida Henriques…

por Paulo Neto | 2018.12.17 - 18:02

 

 

Viseu não escapa à sanha despesista e promocional de António de Almeida Henriques e do seu acólito preferido, Jorge Sobrado.

Este Rei Sol do Rossio, o posso quero e mando que vive a comunicar o que faz e o que não faz o que dá e o que intenta dar – como se os dinheiros públicos fossem a sua carteira pessoal— o tal que não adrega a apresentar as contas da Viseu Marca, que por isso corre o risco de a tornar na mãe pai, madrasta e padrasto de todas as conjecturalmente negativas acções, o intitulado Pai dos Pobres – como se nós acreditássemos que na Melhor Cidade para Viver existissem pobres – o ás dos “inconseguimentos”, o benfeitor que aluga as instalações da UCatólica para uma tal Vissaium XXI da AIRV/Cota por milhares, saídos dos bolsos dos contribuintes, aqui também e talvez para conceder um agrado aos “donos” da Católica de Viseu, que desde que teve o “secretário Paraíso” – sim, o mesmo da Lusitânia – tem passado por alguns constrangimentos materiais, pois Almeida Henriques/Sobrado ou Sobrado/Almeida Henriques, talvez a ordem dos “factores” seja aqui arbitrária, este imparável dueto da ilusão, do milagre e da boaventura, agora foram ao ringue com a PSP de Viseu, que e ao que parece não se dignou contribuir com acção gratuita para levar umas crianças à Disneylândia. Diz ele, à Mister Trump, numa rede social, que “todas as instituições e empresas, à excepção da PSP, contribuíram gratuitamente”… mas diz mais “arredondei o cheque em 20.000€” – decerto do seu bolso pessoal, se não nunca ousaria usar a 1ª pessoa do singular, e então, é cumprido o fundamental “ir à Disney”.

Estamos certos que as Crianças do Centro de Acolhimento merecem tudo isso e muito mais. Fora de questão. Agora que Almeida Henriques queira “botar figura” à custa de terceiros, se do facto não nos admiramos, não nos coibimos de achar abusivo, prepotente, autocrata e… lamentável.

Pior ainda é depois exercer o “revanchismo” num post despropositado, insensato, pouco lúcido e rasteiro… acusando a PSP – a quem as carências institucionais sobram – de não querer dar o contributo para o endeusar, para o promover, para insuflar oxigénio num ego aparentemente “sofrido”.

Este tipo é cá um figurão!