Menu   

Hélder Amaral

02.12.2013
É pouco, mas é útil

O Orçamento de Estado para 2014 está finalmente aprovado. É um orçamento cheio de riscos, sem seguro contra imprevistos, mas ainda assim não nos deve desviar do planeado: cumprir o programa de ajuda externa no tempo e montantes previstos. Um só programa, um só calendário para saída da Troika, um só pacote financeiro. É assim. Os jardins bonitos são os que crescem planeados. Mas apesar dos sacrifícios que continuara a ser exigido às famílias, aos trabalhadores e às empresas, foi possível corrigir e atenuar alguns aspetos para ajudar quem ajuda, e principalmente para ajudar a economia, principalmente na fiscalidade agrícola: o Orçamento de Estado reduz a carga fiscal aos agricultores e simplifica obrigações. É pouco, mas para o nosso concelho e para o nosso distrito é fundamental.

Colaboradores, última actividade

Aproxima-se o início de uma nova época desportiva. Esta é altura que muitos pais têm de fazer a escolha das modalidade e/ou clube em que vão inscrever o seu filho. Concentramo-nos neste texto apenas nas crianças que vão começar agora a atividade desportiva federada. E nasce o dilema para os progenitores: para que clube vai […]

23 de Agosto, 2019

José Cid é um nome incontornável na música portuguesa, tendo uma carreira no mundo da música com mais de sessenta anos, preenchida com muitos sucessos. Sou ouvinte de José Cid há muitos e bons anos e cliente assíduo dos seus concertos, que, por vezes, chegam a ter mais de duas horas e meia, o que […]

23 de Agosto, 2019

Fez agora um ano que a plataforma digital “Observador” noticiava: Aeródromo de Viseu acolhe Air Race Championship em 2019 Na entrevista, daquelas em que Almeida Henriques é de uma estracassante prodigalidade, tão pródigo quanto esvaziado, em geral, de conteúdo digno desse nome, afirmava: “o aeródromo municipal é um investimento estratégico para Viseu e para a região […]

23 de Agosto, 2019

Quando duas crianças vivem até aos 10 anos com os pais numa garagem sem quaisquer condições de salubridade e privadas da mais elementar vida em sociedade, não há quem se possa sentir indiferente, e terminar tranquilamente a refeição se for o caso disso, sem lhe dar uma enorme volta ao estômago. É caso para se […]

21 de Agosto, 2019