Vereadores do PS Tondela chamam IGF para avaliar nomeações, promoções, contratações e concursos…

por Paulo Neto | 2019.02.27 - 11:15

 

“Desde o início do atual mandato que nos temos debatido pelos desígnios da nossa candidatura. O Rigor e a Transparência não são conceitos que inventámos, mas que estão consagrados em todas as leis que regulam a administração pública.

Ao longo deste tempo, temos desenvolvido o nosso trabalho, não apenas atentos ao desenrolar das ações da maioria, mas participando nas decisões, manifestando a nossa opinião e justificando os nossos pontos de vista, sempre de uma forma responsável de fazer política.

Certamente, não somos donos de toda a verdade nem de toda a razão, mas quando existem evidências que nos suscitam as mais elementares e legítimas dúvidas, não são quaisquer argumentos falaciosos que nos impedirão de falar, diríamos mesmo, de denunciar.

Ao contrário do que pensa a maioria, há décadas no poder, a institucionalização de procedimentos não os legitima, pelo contrário, revela, em nosso entendimento, uma forma consentida de ação na qual não nos revemos.

Embora não faltam respostas às nossas questões, é um facto, nem sempre conseguem ultrapassar o filtro das nossas dúvidas, continuando a prevalecer, quase sempre, a vontade da maioria.

Entre outras coisas, mas porque a atualidade assim o exige, as últimas alterações ao Mapa de Pessoal, que não mereceram a aprovação dos vereadores do PS, têm merecido a nossa censura, não por simples oposição à contratação ou promoções merecidas, mas porque, em nosso entender, devem ser escrupulosamente escrutinadas à base da Lei.

Concretamente, a última alteração do mapa de Pessoal não respeitou minimamente os órgãos que a aprovaram, ilegitimamente ultrapassados no tempo, provavelmente pela pressa incontida que é censurável e, no mínimo, politicamente reprovável.

Pelos factos, os vereadores, eleitos pelo Partido Socialista, anunciaram na reunião do executivo, que se realizou esta 3.ª feira, que iriam solicitar a intervenção da Inspeção Geral de Finanças para avaliar todas as nomeações, promoções, contratações e concursos levados a cabo pelo atual executivo em exclusividade de funções.

Tudo em nome do rigor e da transparência a que todos estamos obrigados.”

 

Os vereadores

Joaquim Santos

Júlio Rodrigues