Se não visse não acreditava…

por Rua Direita | 2014.11.06 - 22:46

 

 

Hoje, em plena Assembleia da República, o deplorável espectáculo proporcionado pelo ministro da Economia, o centrista Pires de Lima, foi lamentavelmente constrangedor e altamente elucidativo.

Constrangedor porque aquele tipo de chicana, de baixo nível, duvidoso gosto e rasteiro sentido de Estado, deu do parlamento uma imagem circense arredia da dignidade e respeito que aquela Casa deveria impor a quantos a frequentam, deputados ou membros do governo.

Elucidativo e até formativo porque nos esclarece, sem margem para dúvidas, da massa de que aquela gente é feita. Da classe de um ministro que deixa mal o governo e o partido a cujas hostes pertence. Do desnorte inequívoco que subjaz a actos deste teor e quilate. Da decadência de um governo.

Se houvesse vergonha, Pires de Lima, num assomo de lucidez perceberia que não é pago pelo senhor Cardinali e que,os conteúdos funcionais de um governante não incluem pantomineirices deste mau-gosto.

De um ministro espera-se um comportamento modelar e não um exemplo a ser invocado por todos quantos assistiram à triste rábula, como postura aceitável em outros contextos sociais e profissionais. Ademais se exigindo respeito por Portugal e pelos portugueses.

Estas confirmações — pois no fundo é disso que se trata — explicam e atestam muita coisa. Mas essencialmente o ordinário jaez de quem assim actua.

 

 

(foto DR)

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub