Rui Costa – “O Vereador dos sete ofícios!”, afirma o PSD Mangualde

por Rua Direita | 2018.12.14 - 12:34

 
“Como é sabido pela primeira vez no município de Mangualde o executivo camarário tem cinco vereadores com pelouros atribuídos (vereadores remunerados a 100%). Parece-nos ser o momento de se verificar se está justificado o acréscimo de despesa com a remuneração de mais um vereador.


Este quinto vereador trata-se do Dr. Rui Costa, ex-adjunto do diretor do Agrupamento de escolas de Mangualde (substituído nesse cargo pela esposa), atual presidente da COAPE, Vice-Presidente da OBRA SOCIAL BEATRIZ PAIS – RAÚL SARAIVA e também presidente da comissão política do PS de Mangualde. O motivo apresentado pelo PS para a existência de mais um vereador prendeu-se com a necessidade de se fazer um melhor trabalho nos pelouros da floresta e cinegética, agricultura, educação, desporto, juventude e tempos livres, pelouros que agora são da competência deste vereador. Não deixamos de estranhar que, até então, tal não tenha sido necessário. Aliás, tem sido o próprio PS a realçar o excelente trabalho que fez com apenas quatro vereadores, sem nunca ter ponderado a possibilidade de um quinto vereador. Terá aumentado exponencialmente o trabalho que se tornou imprescindível a existência de mais um vereador ou os vereadores existentes não são capazes de fazerem o que antes outros fizeram?

Esta é uma questão de difícil resposta até para o executivo camarário. É que até à data o sr. Vereador Dr. Rui Costa, que aufere uma remuneração mensal enquanto vereador com pelouro, é também presidente de uma das cooperativas agrícolas existentes no concelho, mais concretamente a COAPE. O sr. Vereador divide o seu horário de trabalho entre as salas da câmara e a sala da direção da COAPE. Percebendo-se por isso que o trabalho existente na câmara municipal é pouco, podendo reparti-lo com as funções que exerce na COAPE. E não se pense que o Sr. Vereador apenas trata de assuntos da COAPE depois de terminar o dia na câmara, pois basta uma visita à COAPE para o encontrar na sala da direcção a resolver assuntos da cooperativa.

Será que a remuneração do sr. Vereador pago com o dinheiro de todos nós é para realizar funções de presidente de uma cooperativa agrícola? Não deveria um vereador pago para estar ao serviço dos munícipes dedicar-se apenas a essa função, motivo para o qual está a ser remunerado?

É bem verdade que alguém que é presidente de uma cooperativa agrícola percebe bastante do assunto para exercer este pelouro, percebe tanto que provavelmente até será a pessoa mais avalizada no executivo camarário para aconselhar a atribuição de subsídios camarários e vantagens lícitas, p.ex. à COAPE. No entanto, parece-nos eticamente pouco aceitável que o vereador do pelouro da agricultura seja também presidente de uma entidade privada que tem como actividade principal a agricultura, tanto mais que o obriga a estar presente na dita cooperativa. Um elemento que o PS considera tão válido deveria ter deixado o cargo de presidente da COAPE – tal como deixou o de adjundo do director do agrupamento de escolas fazendo-se substituir pela sua esposa. Esperemos que com esta chamada de atenção o sr. Vereador não se candidate às eleições da COAPE, exercendo apenas as funções para o qual foi eleito, a de dedicação ao serviço público.

Está na hora de se mudar o paradigma do “amiguismo”, comecemos a ser uma cidade de exemplo para todo o país, não em festas e festinhas mas em transparência, onde ninguém sinta que o poder político está de mãos dadas com interesses pessoais.”

PSD MANGUALDE

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub