Queijo Serra da Estrela à Chef chega a Penalva do Castelo de hoje a quinze

por Pedro Morgado | 2014.01.31 - 21:44

Ser português e nunca ter ouvido falar do Queijo Serra da Estrela é algo tão inacreditável como ser italiano e nunca ter entrado numa pizaria. Mesmo sabendo que isto dos gostos e das preferências gastronómicas é algo que se prende com o palato e com a barriga de cada um, o mais certo é que esta iguaria faça parte do imaginário de todo e qualquer amante de queijo que se preze.

Mesmo com tão imponentes pergaminhos, quando se olha ao lugar de destaque que ocupa na gastronomia nacional, torna-se fundamental sensibilizar e proteger este produto de excelência feito com o leite das ovelhas de raça Serra da Estrela ou da raça Churra Mondegueira que dormem e que pastam exclusivamente na região. Hoje, mais do que nunca, faz parte das obrigações dos agentes económicos a valorização do Queijo da Serra da Estrela enquanto produto quando, sabemos, a região perdeu nos últimos quinze anos cerca de 75% dos seus produtores certificados. Hoje, são apenas doze.

Deixando de lado a dureza dos números que podem suscitar choque e incredulidade em muitos, ainda há iniciativas que demonstram que é possível inverter esta realidade: com um programa que espelha o bucolismo e o cedo começo da vida no campo, a unidade de charme da Visabeira Turismo, a Casa da Ínsua, será no próximo sábado, 15 de Fevereiro, o espaço de eleição para quem quer conhecer o percurso do queijo desde a ordenha até à mesa.

Acompanhar o pastoreio das ovelhas que Joaquim Rebelo, um dos poucos pastores em Portugal que se pode gabar de trabalhar para um hotel de cinco estrelas, conhece pelo nome, visitar a plantação de cardo vegetal e ver ao vivo o trabalho laborioso da Dona Maria do Céu, a última queijeira de Penalva, são algumas das actividades a não perder que fazem parte do programa do evento gastronómico “Queijo Serra da Estrela à Chef” que começa bem cedo: sete da manhã é a hora marcada para os mais corajosos.

Paulo Cardoso, chef da Visabeira Turismo e responsável pela cozinha da Casa da Ínsua, será o anfitrião que irá acolher o painel de chefs convidados que inclui nomes como Miguel Laffan, chef português que conquistou a sua primeira estrela Michelin no ano passado, Ljubomir Stanisic, Miguel Castro e Silva, Rui Paula e Vítor Claro.

A hora do almoço será, portanto, uma oportunidade única para assistir ao vivo às surpreendentes construções destes chefs que, partindo de uma base comum – o Queijo Serra da Estrela, irão decerto mostrar como é possível construir um menu de degustação elaborado e de uma riqueza única.

Pelas 15h30 terá inicio a segunda parte deste evento que incidirá sobre um ponto único: “Como revalorizar o Queijo Serra da Estrela”. Euclides Pires, orientador do projecto CARDOP (promoção e valorização do cardo na produção do queijo) que conta como parceiro o Centro de Neurociências da Universidade de Coimbra, Pedro Couceiro, Confrade Mor da Confraria Queijo Serra da Estrela, Célia Henriques da Cooperativa dos Produtores de Queijo da Serra da Estrela (ESTRELACOOP), João Madanelo da Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela (ANCOSE), Francisco Carvalho, Presidente da Câmara Municipal de Penalva do Castelo e José Matias da Casa da Ínsua são alguns dos participantes nesta discussão.

Como terceiro e último momento, a degustação e as provas cegas de Queijo Serra da Estrela com acompanhamento, encerrarão o dia inteiramente dedicado a uma das pérolas certificadas da região.

 

Os Chefs – As “estrelas da companhia”

1_paulo_cardoso

Entregue ao talento deste chef de 26 anos, a ementa da Casa da Ínsua percorre a cozinha tradicional portuguesa, mas com apontamentos de autor.

2_ljubomir_stanisic

Na história ainda curta, mas ao mesmo tempo bem longa, de Ljubomir (nasceu a 8 de Junho de 1978 em Sarajevo), não há parágrafos com dedicatórias à família e às «heranças» gastronómicas, não há linhas que ligam o sonho de uma criança à realidade de uma cozinha. A sua musa é e sempre será Rosa, a mãe, que, entre muitos outros feitos, passou dias a fio a cozinhar batatas e, dias a fio, fez com que não houvesse um dia igual ao outro… uma batata igual à outra. Talvez a imaginação da mãe tenha estimulado a imaginação do filho. Talvez…

3_miguel_castro_silva

O Chef Miguel Castro e Silva dispensa apresentações. É um dos mais consagrados chefes portugueses, que assinou espaços gastronómicos tão carismáticos como o Bull & Bear no Porto, ou o restaurante Tuga em Londres.

4_miguel_laffan

Foi em 2011 que Miguel Laffan chegou à cozinha do L’AND, restaurante situado num resort perto de Montemor-o-Novo. Dois anos depois, trabalhando os produtos e os sabores alentejanos, conquistou a sua primeira estrela Michelin.

5_rui_paula

Rui Paula nasceu no Porto, em 1967, mas foi no concelho duriense de Alijo, nas férias passadas em casa da família, que desenvolveu desde cedo o gosto pela cozinha, influenciado pela forte ligação à avó materna e às comidas que esta preparava baseadas em receitas antigas e no uso dos produtos da terra.

6_vitor_claro

Com apenas 31 anos, Vítor Claro já passou por restaurantes conceituados, aquém e além fronteiras. Mais recentemente, está à frente do restaurante Claro!, situado no hotel Solar Palmeiras, em Paço D’Arcos. A sua cozinha clássica e criativa, com influências de vários países e culturas, alia sólidos conhecimentos às melhores tradições da culinária portuguesa, conciliando a gastronomia com o vinho.

Nasceu na Covilhã. Licenciado em Comunicação Social pela Escola Superior de Educação de Viseu, ocupa parte do seu tempo nas áreas ligadas às novas TIC's.

Pub