Portugal é governado pelos gabinetes dos “pareceres”?

por Rua Direita | 2014.11.03 - 12:31

 

 

A despesa do Estado com estudos, pareceres, projectos e consultoria vai crescer este ano 166 milhões de euros, o que, segundo a Unidade Técnica de Apoio Orçamental, significa um aumento de 40% face a 2013.” A porca cevada do Estado…

Isto significa o quê?

Com tantos pareceres e tão caros, porque comete Coelho y sus muchachos tanta asneira?

Quem dá estes pareceres?

De quem são os gabinetes que dão os pareceres?

Quais as suas relações com o PSD?

Porque não são os pareceres dados pelos técnicos competentíssimos dos diversos ministérios, técnicos de carreira que sabem mais a dormir do que todos eles acordados?

É esta a poupança das gorduras da “porca cevada do estado”?

Quem dá os pareceres serve quais interesses?

Leia, por exemplo, o livro “Os Facilitadores”, de Gustavo Sampaio e aí encontrará algumas das respostas às perguntas aqui colocadas.

No fundo… são só mais 166 milhões em pareceres do que em 2013. Estamos falados?

Afinal não precisamos de governantes para nada… se não conseguem tirar coisa nenhuma dos neurónios ossidificados, que estão eles lá a fazer?

Almeida Henriques não pediu um parecer à KPMG no montante de 52.500,00 € sobre a “Revisão do Enquadramento do IVA”? Não tinha na CMV quem lho desse? São assim tão incompetentes, os técnicos superiores camarários?

Os maus exemplos vêm de cima…

 

http://www.ruadireita.pt/editorial/os-ziguezagues-de-almeida-henriques-6308.html

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub