“Os moradores do Centro Histórico merecem mais do que improvisos caros”, declara Agostinho Matos na AMV

por Rua Direita | 2016.12.20 - 14:39

 

(Excertos da Intervenção do cidadão Agostinho Matos na Assembleia Municipal de Viseu)

 

SOBRE O ESTACIONAMENTO

Permitam-me que faça algumas citações:

Acta  de Novembro de 2014

Reunimos todos os meses com a PSP, GNR e P municipal e temos pedido à PSP para ser rigorosa.

Acta de  Abril 2015

o acordo recente que fizemos com aquele parque de estacionamento que fica no Centro Comercial Académico e que será o primeiro parque de estacionamento de apoio aos residentes do Centro Histórico, portanto, são 60 lugares …”

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, explicou aos jornalistas que o projeto para o novo parque de estacionamento – a construir junto à estação superior do funicular – será desenvolvido  durante este ano.

“Serão 60 a 80 lugares que irão nascer num parque de estacionamento para residentes e  para comerciantes do centro histórico”, frisou, considerando que é preciso “criar oferta de estacionamento para que as pessoas que vivem no centro histórico estejam em igualdade de circunstâncias com as que vivem noutros locais”.

Acta da AM de 25 Set 2015

“...vamos fazer uma experiência piloto no Centro Comercial Académico, já está em curso e  vai começar agora, já no próximo mês, aliás, já há pessoas inscritas,  para residentes e para operadores económicos …”

A Câmara de Viseu aprovou hoje a disponibilização de um parque de estacionamento coberto exclusivamente para moradores e agentes económicos do centro histórico da cidade, com 80 lugares, a partir de segunda-feira.“

 

Entre a primeira citação e a última, conto já com mais de 50 multas de estacionamento no Centro Histórico.

São cinquenta medalhas pela resistência, outorgadas por quem não quer saber de quem lá vive.

Foram multados hóspedes enquanto faziam o check-in . E a cereja em cima do bolo: Foi sancionado com multa de estacionamento e reboque um carro duma hóspede exactamente no lugar que lhe era destinado.

Uma vergonha!

Resta-me a autoridade para denunciar e falar do assunto.

Andam uns a procurar captar turistas e a fazer com que se aumente a média da estadia em Viseu, e andam por aí uns anónimos certamente comandados a fazer-nos isto!

Mas vamos ao que interessa:

No PORTO todos os moradores têm direito a uma avença de residente que lhes permite o estacionamento nas ruas pertencentes à zona de residência do titular, sem limite de tempo.

Podem ser até três avenças por fogo

1ªviatura/ 25€, 2ª viatura 100€, 3ª viatura 300€

Em Lisboa e Aveiro um dístico de residente permite o estacionamento nas ruas pertencentes à zona de residência do respectivo titular, nos lugares tarifados existentes, sem haver lugar ao pagamento da tarifa de estacionamento e sem limite de tempo.

Até 3 dísticos em Lisboa e dois em Aveiro sempre com estacionamento gratuito e por tempo ilimitado.

Em Évora os moradores do Centro Histórico têm um sêlo que lhes permite estacionar na zona, sem limite de tempo e gratuitamente.

Dístico de Residente

E na melhor cidade para viver os moradores não têm direito a nada? E os resistentes do CH vão ter que pagar 240€? E se tiver dois carros 480? E querem atrair mais gente para o CH?

Mas alguém acha que algum turista fica no CH se tiver que deixar o carro no CC Académico e ir e vir a pé? E se estiver a chover?

E se um morador vem almoçar a casa tem que vir e ir até ao C C Académico a pé?  E se vai levar um saco de batatas ao 3º andar a maior parte das vezes sem elevador, quando chega continua sujeito a ter multa como já me aconteceu? E se tem filhos pequenos vai a pé a chover buscar o carro para vir a casa pegar o menino e levá-lo à escola e voltar a pé do parque para casa? E se tem um doente em casa….  E se mora e trabalha no CH de forma que tenha que dar apoio comercial a partir dum armazém na periferia, onde muitas vezes tem que ir e vir meia dúzia  de vezes por dia? Mas são estas as condições de vida e de trabalho que querem dar no vosso querido Centro Histórico? Onde não há multibanco, não há fibra e os pacotes de TV e internet são caríssimos. Não há gás porque derreteram uma fortuna numa rede nova mal executada, não ouviram a fiscalização e por isso as entidades não a certificaram.

O que querem afinal dos moradores e do comércio do CH? Fechar tudo para alguma coisa de especial? Senhor presidente: Não insista no seu plano de fechar as restantes 3 praças aos automóveis e retirar o estacionamento, porque restaurantes, hotéis, demais comércio e serviços e sobretudo os moradores, (a menos que continue a haver tratamentos privilegiados), repito, tratamentos privilegiados, ninguém conseguirá resistir a isto.  Pois se assim for, pode contar com um CH às moscas durante o dia, como às moscas ficará o seu parque do Académico.

Os moradores do Centro Histórico merecem mais do que improvisos caros. Este assunto terá que ser melhor estudado e por certo chegarão a melhor resultado.

Agostinho Matos

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub