Nelas – Trabalhadores da empresa AQUINOS

por Rua Direita | 2017.03.09 - 09:17

 

Inserida na campanha nacional do PCP “Mais Direitos, Mais Futuro, Não à Precariedade”, a DORV do PCP, denuncia em 10 pontos, uma a uma, as formas ilegais, atentatórias da dignidade humana, discriminatórias e exploradoras que a empresa Aquinos faz recair sobre os seus trabalhadores, principalmente na unidade de produção de Nelas.

Ritmos de trabalho acelerados para além do limite, esforços físicos (de homens e mulheres) com transporte de pesos elevados, discriminação salarial, diferenças nos subsídios de alimentação e de turno, apesar dos trabalhadores realizarem o mesmo tipo de funções, banco de horas discricionário, intervalos de trabalho de 5 minutos que não dão para ir aos cacifros e comer a sandes, chantagem e pressão psicológica permanente que motiva advertências e a  justificação de despedimento, imposição dos períodos de férias, falta de segurança e higiene, pavilhões sem ventilação, vigilância abusiva com controle e cronometragem das idas à casa de banho e registo de uso de telemóvel,  homens a “controlar” as casas de banho das mulheres roubando-lhes a privacidade e atentando contra a sua dignidade.

Tudo se passa nesta empresa de “referência”, que mantém uma rotatividade de trabalhadores que não ultrapassa um ano, que recebeu da Câmara Municipal de Nelas um apoio de 250€  por cada posto de trabalho criado (que não por cada posto de trabalho permanente), a quem foi oferecida a renda e água do pavilhão que utiliza nas antigas instalações da Jonshon Controls, que beneficia de incentivos oficiais à contratação e à produção.

Os trabalhadores são seres humanos e têm direito à dignidade. Não têm de ser a peça mais barata desta engrenagem exploradora.

O PCP, manifesta o seu apoio aos trabalhadores e apela à sua unidade e organização para fazerem frente com êxito à máquina opressora e exploradora.

Dia 9 de Março, o PCP irá distribuir aos trabalhadores da Unidade de Produção de Nelas o comunicado que segue em anexo e questionará o Governo, através do nosso Grupo Parlamentar na Assembleia da República, sobre o papel que a ACT tem tido na fiscalização de toda esta situação de ilegalidades e incumprimentos.

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub