Movimento pela saúde, bem-estar e futuro dos animais de Santa Comba Dão

por Rua Direita | 2017.02.02 - 09:27

 

 

COMUNICADO

Cada dia que passa estamos mais perto da obrigatoriedade de entrada em vigor das medidas permanentes da Lei nº 27/2016 de 23 de agosto. Em agosto de 2018 vamos por ponto final ao abate de animais para controlo de população e, face a isto, a única maneira de nos prepararmos, de forma a evitar um autentico caos, é começar o antes possível com campanhas de esterilização na rua por todo o país. Os CROA e canis, hoje em dia estão completamente sobrelotados, o que traz condições péssimas para os nossos animais, imaginemos como será em 2018 se não nos prepararmos devidamente e se não houver desde já um controlo da população através da esterilização, poupando assim a vida a todos os animais. Prevemos que o desinteresse e a negligência de muitos executivos camarários levem a práticas obscuras e duvidosas de controlo do excesso de população a partir do dia em que o abate por sobrelotação seja ilegal!

A atual legislação coloca os municípios no centro de decisão no que respeita aos direitos dos animais, estando os mesmos obrigados a corresponder às atribuições e competências que a lei lhes confere nesta matéria, por isso desafiamos o executivo municipal a revelar que medidas está a tomar, e quais pretende tomar para colocar em prática a lei 27/2016.

 

Sabemos que as associações que trabalham com os animais no terreno têm identificado como principal causador do descontrolo populacional as ninhadas domésticas negligenciadas, pensamos que a identificação destes criadores negligentes também seria beneficiosa para o controlo populacional.

Os promotores do ‘Manifesto pela saúde, bem-estar e futuro dos animais de Santa Comba Dão’ informam que existem 50 subscrições individuais à qual se juntam algumas organizações, o que comprova a vontade da sociedade civil em construir um concelho amigo dos animais.

Assim pensamos que a maneira mais viável e menos prejudicial para todos seria criar um projeto com a sociedade civil que consista em:

1.    Cessar imediatamente o abate de animais por excesso de população;

2.    Identificar as colónias de gatos de rua do concelho de Santa Comba Dão;

3.    Colocar abrigos nas colónias identificadas, com comedouros e bebedouros para que a sociedade civil possa alimentar os animais de forma ordenada e higiénica;

4.    Proceder à manutenção dos espaços criados e de divulgação de boas práticas no tratamento animal;

5.    Iniciar uma campanha de captura, avaliação, identificação, vacinação, esterilização e devolução (se viável) de animais abandonados, errantes e negligenciados;

6.    Promover campanhas de sensibilização contra o abandono dos animais, bem como da importância da esterilização de animais de companhia;

7.    Promover a formação, sensibilização e a inclusão da temática animal na comunidade educativa (em projetos escolares, formação cívica, sessões de esclarecimento) para voluntários, técnicos, famílias de acolhimento, forças da autoridade e população em geral.

 

Pelo Movimento pela saúde, bem-estar e futuro dos animais de Santa Comba Dão

 

Diego Garcia

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub