Mortos levam pulseira negra

por Rua Direita | 2014.10.29 - 14:14

 

 

Este governo mete a pata na poça em qualquer caleiro que apanhe a jeito.

A última parece de um filme de humor negro: cadáver de vítima de homicídio que entre nos serviços de urgência (?) recebe pulseira preta (?) e são os enfermeiros que substituem os funcionários capacitados na tramitação inerente, nomeadamente no que diz respeito ao corpo, ao inventário de bens em sua posse, etc.

A Ordem dos Enfermeiros, em comunicado enviado, diz que já questionou a tutela que não deu resposta ao inusitado da triagem nem à questão da inventariação do espólio.

Até aqui, este serviço era objecto de peritagem, até e porque se tratava, eventualmente, de um caso em investigação requerendo a máxima atenção para todas as prováveis provas existentes. Mas o que é certo é o Ministério da Justiça ter mil funcionários em falta nos seus quadros. Deste modo, e mesmo com a falta de enfermeiros nos hospitais, o Ministério da Saúde põe-nos a fazer um serviço que não lhes compete, não está nos conteúdos funcionais legalmente instituídos pelo Ministério do Trabalho e, para o qual, tratando-se de vítimas de crime, não estão tecnicamente capacitados.

Mas os mortos não se queixam, pois não? E os criminosos, esses, provavelmente até agradecem…

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub