Moimenta da Beira passou a integrar a Rede de Judiarias de Portugal

por Rua Direita | 2017.02.11 - 15:11

 

 

Os sinais (e as marcas) da presença de judeus no concelho de Moimenta da Beira, documentada desde o crepúsculo da Idade Média, estão ainda hoje espalhados pelo território moimentense, e são muito significativos. Essa presença foi tão forte que ficou o epíteto de “judeus” aos habitantes de Leomil, a maior freguesia em área. Mas há mais reminiscências ‘guardadas’ noutras aldeias seculares do concelho, como Cabaços, onde se encontram segredos de outros tempos em casas antigas onde as pedras dos portais estão marcadas pela devoção e pelo medo. Embora os pós já preencham os vazios, os cunhos perpetuados no granito imortalizam a história das famílias judias e cristãs-novas que as habitaram. A “Casa da Moimenta” ou a “Casa do carrasco”, como também é conhecida, imóvel situado no centro histórico da sede de concelho, cuja aquisição foi decidida pela Câmara Municipal, é outro testemunho vivo da presença de judeus.

 

É por isso que Moimenta da Beira, terra de escritores e de escritas, onde ainda se sente a alma sefardita (termo usado para referir aos descendentes de judeus originários de Portugal e Espanha) num sopro de vento, longo e persistente, com memórias de inquisições, tormentos e de paz, passou a integrar a Rede de Judiarias de Portugal, associação que já congrega outros 36 municípios de norte a sul de Portugal. São eles: Alenquer; Almeida; Belmonte; Bragança; Castelo Branco; Cascais; Castelo de Vide; Covilhã; Elvas; Évora; Figueira de Castelo Rodrigo; Fornos de Algodres; Freixo de Espada à Cinta; Fundão; Gouveia; Guarda; Idanha-a-Nova; Lamego; Leiria; Lisboa; Manteigas; Mêda; Penamacor; Penedono; Pinhel; Porto; Reguengos de Monsaraz; S. João da Pesqueira; Sabugal; Seia, Tomar; Torre de Moncorvo; Torres Vedras; Trancoso, Vila Nova de Foz Côa e Vila Nova de Paiva.

No site oficial da Rede de Judiarias de Portugal – Rotas de Sefarad, é referido que a Rede “é uma associação com carácter público mas de direito privado e que tem por fim uma atuação conjunta, na defesa do património urbanístico, arquitetónico, ambiental, histórico e cultural, relacionado com a herança judaica. Assim, a Rede de Judiarias de Portugal, fundada em 17 de Março de 2011, pretende conjugar a valorização histórica e patrimonial com a promoção turística, ação que ajudará igualmente a descobrir uma forte componente da identidade portuguesa e peninsular”, uma estratégia que pode potencializar muito o concelho de Moimenta da Beira em variadíssimas áreas do turismo cultural e patrimonial.

O contributo dos judeus portugueses para a história do mundo foi enorme; desde a ciência náutica que há mais de 500 anos deu ao país um avanço decisivo para o início da globalização, à evolução da economia mundial e da medicina, muitos foram os sectores em que o papel dos sefarditas nacionais se tornou preponderante.
Rui Bondoso
(Gabinete de Comunicação)

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub