José Sócrates em prisão preventiva, presumivelmente no EP de Évora

por Rua Direita | 2014.11.25 - 01:09

 

 

 

A noite adiantada trouxe-nos a decisão sobre as medidas de coacção aplicadas a José Sócrates e aos outros três detidos: Carlos Santos Silva, ex-administrador do Grupo Lena, João Perna, antigo motorista do ex primeiro-ministro e o advogado Gonçalo Trindade Ferreira.

Carlos Alexandre, o juiz titular do processo, decretou as medidas mais pesadas para os três primeiros arguidos, a de prisão preventiva e o impedimento de se ausentar para o estrangeiro, com apresentações bissemanais no DCIAP, para o quarto.

José Sócrates está indiciado pelos crimes de fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais.

O comunicado lido, ao invocar a “excepcional complexidade” do processo, dá azo a uma maior dilação dos prazos de prisão preventiva de José Sócrates.

João Araújo, o seu advogado, não só discorda da medida como irá recorrer da decisão, por a achar “injusta e injustificada”.

Pensa-se que e por motivos de segurança, José Sócrates ficará detido no Estabelecimento Prisional de Évora.

Sobre o ex-primeiro ministro de Portugal impendem as suspeitas acima referidas no seguimento de um processo aberto, na sequência de uma denúncia/participação oriunda da CGD.

A PJ deu a esta operação o nome de Marquês.

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub