Elza Pais, uma mangualdense candidata à presidência do DNMS

por Rua Direita | 2016.03.21 - 09:42

Elza Pais, uma mangualdense, mulher do distrito, ex-deputada do PS por Viseu e actual deputada por Coimbra é candidata à presidência do “Departamento Nacional das Mulheres Socialistas”.

Capa_IgualdadeGenero

 

RD: Que apoio tem por parte da presidente do Departamento das Mulheres Socialistas do distrito de Viseu?

EP: Quando anunciei a minha candidatura, em 11 de fevereiro passado, numa carta de princípios (ver infra) que coloquei no FB e enviei a todos os meus colega deputados e deputadas, fi-lo com sentido de responsabilidade e compromisso político e cívico para com a afirmação dos Direitos Humanos e defesa do principio da Igualdade e Não Discriminação. Uma das primeiras pessoas que contactei no Distrito de Viseu foi com a atual, na altura candidata, presidente do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas, Lúcia Araújo, que prontamente e sem qualquer tipo de hesitação me manifestou o seu apoio, que acolhi obviamente com agrado e elevado sentido de compromisso para com o Distrito onde nasci e cujos eleitores já representei na Legislatura anterior, como deputada por Viseu na Assembleia da República. Contactei igualmente as presidentes anteriores e as anteriores candidatas ao departamento federativo que manifestaram o seu agrado para com esta candidatura.

RD: Qual é a direcção distrital da sua candidatura?

EP: Mandatária – Fátima Ferreira, que já foi presidente do DFMS de Viseu.

Directora de Campanha —  Patrícia Monteiro que esteve ligada à JS

Mandatário – José Pedro Gomes, que também vem da JS.

Em cada Distrito terei uma Diretora de campanha, uma Mandatária e um Mandatário por considerar que os homens também têm um papel importante na afirmação dos Direitos Humanos das Mulheres e na luta contra todo o tipo de discriminações. Estou a apostar em todas as pessoas e a chamar os jovens para este debate, dado que os seus contributos serão centrais para a renovação que é necessário faze

RD: Fundamentalmente qual a importância deste orgão ao qual se candidata?

EP: O DNMS é um órgão fundamental para o reforço das lideranças das Mulheres e para a promoção dos princípios da Igualdade e Não Discriminação. É um órgão que precisa de se modernizar e acompanhar as políticas de vanguarda a nível Europeu e Internacional e mobilizar todas as pessoas para a afirmação dos Direitos Humanos. Contribuir para a diminuição das Desigualdades será uma das linhas de força desta candidatura, afirmando assim aquele que é um dos atuais desígnios desta governação socialista: Mais crescimento, melhor emprego, maior Igualdade. RD

RD: Uma breve mensagem para as Mulheres do Distrito de Viseu…

EP: Viseu foi um dos distrito, pela sua própria localização (interior do país), mais fustigado pela crise económica e financeira com repercussões diversas ao nível da coesão social, familiar e territorial. As mulheres de Viseu têm feito um percurso extraordinário ao nível das lideranças políticas nas Câmaras Municipais, sendo que muitas são vereadoras de pelouros ligado à solidariedade e ação social. É fundamental reforçar essas lideranças e fomentar novas para as eleições autárquicas que se aproximam. O DNMS poderá e deverá ter ao nível dessa formação um papel fundamental.

Há ainda que apostar em estratégias de conciliação entre a vida familiar, profissional e pessoal para que os tempos dedicados às carreiras e ao cuidado possam ser equitativamente repartidos pelas mulheres e pelos homens. Todas ganham com isso e ninguém perderá como terei oportunidade de demonstrara na campanha.

O combate à violência doméstica e no namoro ocupará um espaço central nesta candidatura, dado que são áreas nas quais muito tenho investido como investigadora e como política. E as Autarquias e Escolas poderá ter aqui um papel central, pelo que apoiar os profissionais para desenharem estratégias eficazes de prevenção e combate á violência doméstica terá de ser um desígnio nacional central a um DNMS, obviamente com as ligações indispensáveis que têm de ser construídas com os Departamentos Federativos. Viseu tem e teve Mulheres de grande destaque à frente do Departamento Federativo de Mulheres Socialistas, que obviamente promoviam articulações diversas com as estruturas concelhias. Quero contar com todas e com todos para fazer promover Viseu e as suas gentes e tornar este Distrito mais Igual.

Deixo-lhe a minha a minha “Carta de Princípios”…

 

Tempo Novo para a IGUALDADE

Decidi candidatar-me nome de uma ideia de futuro para a DNMS e para a Igualdade.

Candidato-me com sentido de responsabilidade e compromisso político e cívico para envolver mulheres e homens na afirmação dos Direitos Humanos e na defesa dos princípios da Igualdade e Não Discriminação. Para construirmos em conjunto um projeto de renovação e modernização que coloque a Igualdade no centro da ação política.

Decidi candidatar-me:

Para unir todas as mulheres e homens socialistas em torno deste projeto de mudança, para construirmos em conjunto um caminho de esperança que nos permita combater e denunciar as desigualdades estruturais que persistem e foram agravadas pelas medidas de austeridade que recentemente nos impuseram.

Para denunciar de forma intransigente todo o tipo de discriminação em função do género, da orientação sexual ou de outra qualquer característica pessoal que comprometa a inclusão e o respeito pelos direitos individuas de cada um ou uma de nós.

Para incomodar denunciando os atentados e a violação dos direitos humanos.

Para estar presente, próxima das pessoas, em articulação com os DFMS, denunciando e dando visibilidade às discriminações e violência de género identificadas em todo o território nacional.

Para fazer cumprir o princípio da Igualdade e Não Discriminação constitucionalmente garantido e os compromissos internacionais a que estamos vinculados.

Para incentivar a participação politica por parte das mulheres e combater desse modo o défice e os obstáculos que se têm colocado ao desenvolvimento do seu potencial de liderança.

Para promover a transversalidade de género em todos os domínios de ação política no sentido de tornar real a Igualdade.

Para unir as pessoas e reforçar o compromisso político para com a Igualdade inscrito no programa da atual governação socialista: mais Crescimento, melhor Emprego e maior Igualdade.

Para valorizar o conhecimento e promover a informação em matéria de Igualdade e Diretos Humanos.

Para transformar o DNMS numa estrutura moderna que mobilize mulheres e homens em torno desta causa e de uma Nova Agenda para a Igualdade.

Para dizer Presente numa altura em que precisamos de reconstruir e de nos unir em torno de um projeto novo.

Esta candidatura assumirá a linguagem de género como um dos principias organizadores sociais, de modo a impedir a naturalização das desigualdades.

Candidato-me com o sentido de dedicação e de responsabilidade com que me entrego às causas a que me tenho dedicado.

Candidato-me em nome de um Tempo Novo para a Igualdade que convoque todas e todos, jovens e menos jovens na construção de uma sociedade desenvolvida, moderna, plural, aberta e flexível.

 

(Foto DR)

 

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub