CDS aprova moção sobre a PSP e voto de louvor a Lúcio Campos, na AM de Viseu

por Rua Direita | 2017.02.22 - 14:33

O CDS-PP apresentou uma Moção sobre o reforço de meios humanos e materiais para o Comando Territorial da PSP de Viseu, apresentada ontem na Assembleia Municipal de Viseu e aprovada por unanimidade e voto de louvor ao trabalho desenvolvido pelo tenente-coronel Lúcio Campos, enquanto Comandante da Proteção Civil Distrital de Viseu, igualmente aprovado por unanimidade, que transcrevemos na íntegra:

 

Moção: pelo reforço de meios humanos e materiais do Comando Distrital da PSP de Viseu

 

A Polícia de Segurança Pública tem, entre várias atribuições, assegurar a ordem e a tranquilidade públicas, a segurança e a proteção das pessoas e bens nos termos da Constituição e da lei.

De alguns anos a esta parte, Comando Distrital da PSP de Viseu confronta-se no exercício da sua atividade com constrangimentos de vária ordem que comprometem e limitam a sua capacidade operacional. Todavia, ainda que limitados nos meios humanos e materiais que têm presentemente ao dispor, o Comando Territorial da PSP de Viseu sempre procurou dar resposta adequada às inúmeras solicitações efetuadas.

Recentemente, as declarações do Superintendente Víctor Rodrigues, comandante do destacamento territorial de Viseu, aquando da celebração do 140º aniversário da corporação, para além de serem entendidas como um alerta ao poder político que tutela esta força de segurança, expuseram, uma vez mais, as inúmeras restrições com que o Comando local se confronta diariamente no exercício da sua missão entre as quais se destacam:

a)     Envelhecimento do corpo de efetivos;

b)     Não reposição dos efetivos que têm passado à situação de pré-reforma ou de aposentação;

c)     Solicitações frequentes para prestação de outros serviços como o acompanhamento de diligências de solicitadores ou de agentes da Autoridade Tributária e ainda de notificações pedidas pelos Tribunais. Atividades necessárias, mas que acabam por retirar polícias das missões de patrulhamento e de vigilância a pessoas e bens;

d)     Número insuficiente de carros patrulha;

e)     Inexistência de uma viatura adequada e devidamente equipada destinada às equipas de intervenção rápida;

f)       Número insuficiente de viaturas descaracterizadas;

g)     Algumas das viaturas atualmente ao serviço apresentam um intenso desgaste provocado pelo uso intensivo e pelos anos que ostentam, o que faz com que se deva providenciar, a curto prazo, a sua substituição;

Atendendo aos considerandos enunciados, o Grupo Municipal do CDS-PP propõe que a Assembleia Municipal de Viseu, reunida a 20/02/2017, delibere:

1)     O aumento do número de efetivos do Comando Territorial de Viseu;

2)     Assegurar a substituição dos agentes que passam à situação de pré-aposentação e de aposentação;

3)     Dotar o Comando Territorial de Viseu dos meios materiais necessários ao exercício da sua atividade, nomeadamente a atribuição de dois carros patrulha, quatro viaturas descaracterizadas e uma viatura adequada às equipas de intervenção rápida;

4)     Do teor da Presente Moção dar conhecimento ao Ministério da Administração Interna, Direção Nacional da PSP, Comando Territorial da PSP de Viseu, Presidência da República, Presidência da Assembleia da República, Grupos Parlamentares, CIMVDL e Município de Viseu;

 

Voto de Louvor a Lúcio Campos –Comandante Operacional Distrital (CODIS) de Viseu

Lúcio Manuel Soeiro Marinho de Campos, de 50 anos de idade, tenente-coronel, antigo Comandante do 2º Batalhão de Infantaria da Brigada de Intervenção sediado no Regimento de Infantaria n.º 14 de Viseu, exerceu, entre 05 de agosto de 2013 e 25 de janeiro de 2017, as funções de ‎Comandante Operacional Distrital de Viseu da Autoridade Nacional de Proteção Civil, cabendo-lhe a responsabilidade de dirigir o Centro Distrital de Operações e Socorro (CDOS).

Durante a sua Comissão de Serviço que se prolongou por três anos e meio, que não foi renovada por decisão atual governo, Lúcio Campos trabalhou em colaboração com diversas entidades, entre as quais se destacam: Câmaras Municipais, Agentes da Proteção Civil, Forças Armadas, Escolas e Bombeiros, preparando e executando, ao longo deste período de tempo, estratégias de prevenção e de atuação dos agentes e meios da proteção civil. Um trabalho de coordenação de homens e meios nem sempre fácil, realizado, por vezes, sob intensa pressão, de que são exemplo os graves incêndios que assolaram alguns dos municípios sob o seu comando, entre os quais o de Viseu, e aos quais procurou que as forças sob o seu comando dessem a resposta mais adequada.

Na hora de deixar as suas funções de Comandante Operacional do Centro Distrital de Operações e Socorro de Viseu, Lúcio Campos reconheceu com a nobreza de carácter e a generosidade, apanágio apenas dos grandes líderes, todo o trabalho efetuado pelas corporações de bombeiros, segundo as suas palavras: “uma classe que rapidamente aprendeu a muito admirar e a respeitar e que têm e terão sempre a sua mais profunda consideração, inestimável valor e eterna gratidão”.

As diversas corporações de bombeiros sentiram a sua partida e, através dos seus comandantes e segundos comandantes reconheceram todo o trabalho de liderança e de comando realizado por Lúcio Campos.

Ainda durante o exercício das suas funções, foi aprovado em Diário da República de 11 de novembro o louvor 921/2015 pelos relevantes serviços prestados enquanto Comandante Distrital, tendo sido recentemente aprovado pela autarquia viseense um voto de louvor pelos serviços prestados.

Neste sentido, o Grupo Municipal do CDS-PP propõe que a Assembleia Municipal de Viseu, reunida a 20 de fevereiro de 2017, aprove um voto de louvor e de agradecimento ao desempenho do tenente-coronel Lúcio Campos, atendendo à relevante missão, realizada enquanto Comandante Operacional do Distrito de Viseu da Autoridade Nacional de Proteção Civil;

Deste voto de louvor seja dado conhecimento ao próprio, à Autoridade Nacional de Proteção Civil, a todas as autarquias e corporações de bombeiros do distrito que se encontravam sob o seu comando e à CIMVDL.

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub