Aquilino e o Malhadinhas no CCB…

por Rua Direita | 2018.10.28 - 14:14

 

 

Por iniciativa da Bertrand Editora, pela mão do seu director Eduardo Boavida e com a colaboração do Centro Cultural de Belém, pelo seu presidente Emílio Sumavielle, decorreu ontem, dia 27 de Outubro, na sala Sophia de Mello Breyner Andresen, no CCB, a tertúlia literária Aquilino Ribeiro – O Malhadinhas.

O intento visava responder ao mote deixado por Maria Alzira Seixo, prefaciadora da última reedição da obra, apresentada há meses em Vila nova de Paiva: “Será o Malhadinhas um pícaro?

Para o debater foram convidados pela Bertrand – a editora a que Aquilino se manteve fiel durante meio século – Henrique Monteiro, jornalista do Expresso e reconhecido aquiliniano, Maria Eugénia Pereira, professora na Universidade de Aveiro e há muito ligada a projectos nesta área dinamizados pela autarquia de Sernancelhe e Paulo Neto, director da revista literária “aquilino”.

O neto do escritor, Aquilino Machado esteve presente e deu as boas vindas. Eduardo Boavida, enquanto moderador, contextualizou a iniciativa e fez uma breve história das iniciativas desenvolvidas entre as autarquias das Terras do Demo e a editora que dirige. A Paulo Neto, Henrique Monteiro e Maria Eugénia Pereira, por esta ordem e a cada um, foram concedidos vinte minutos para aduzir suas razões, todos partilhando da ideia de que o António da Rocha Malhada não se enquadrava nessa definição, pese embora, nalgumas raras facetas, pudesse existir alguma ligeira analogia com o pícaro ou picaño espanhol.

Seguiu-se um momento de interacção com o público e debate.

Se a Bertrand tem sido incansável na reedição de obras de Aquilino Gomes Ribeiro, as três autarquias das Terras do Demo, Moimenta da Beira, Sernancelhe e Vila Nova de Paiva – por ordem alfabética – tem sido adjuvantes de alguns desses projectos, nomeadamente Sernancelhe com a parceria na reedição de “Cinco Réis de Gente”, por mão de seu presidente Carlos Silva Santiago, Moimenta da Beira com “O Homem da Nave”, por mão de José Eduardo Ferreira e Vila Nova de Paiva com “O Malhadinhas “, por mão de José Morgado.

No dia 24 de Novembro, será apresentado o IVº número da revista literária da Câmara de Sernancelhe “aquilino”, que será uma surpresa, pelo ineditismo do seu conteúdo, para todos quantos são devotos do Mestre e, o ano de 2019 trará iniciativas novas e conjuntas das três autarquias que e a seu tempo serão reveladas.

De louvar todo o porfiado empenho de Eduardo Boavida e Bárbara Soares, da Bertrand, assim como das autarquias citadas.

Uma palavra final para Maria Eugénia Pereira e Henrique Monteiro pela sua clarividente disponibilidade, Emílio Sumavielle, aquiliniano de “mão cheia”, pela sua cooperação neste último projecto e Aquilino Machado, enquanto representante da família do Escritor.

São estas iniciativas recorrentes, plurais, inesgotáveis e dinâmicas que em muito contribuem para o manter da “chama acesa” no peito dos muitos milhares de aquilinianos, que seguem com renovado entusiasmo tudo quanto neste contexto se implementa e concretiza.

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub