” Ao Cuidado de Alguém… que queira cuidar de nós!”

por Rua Direita | 2016.10.24 - 14:02

De um grupo de cidadãos do Concelho de Carregal do Sal, enviado por um leitor devidamente identificado, dá-se conta do texto que segue:

 

“Um grupo de cidadãos do concelho de Carregal do Sal, vem publicamente expressar o que lhe vai na alma, face à total degradação e abandono do seu Centro de Saúde.

Os poucos profissionais que ali laboram, insuficientes para prestar cuidados com um mínimo de qualidade, de tudo fazem para o conseguir, mas:

Os médicos são poucos para uma população a rondar os onze mil cidadãos; As filas de espera para uma consulta são a realidade, e se até aqui, ir à meia noite para a porta do Centro de Saúde era uma opção, com o aproximar da invernia, tal é confrangedor.

Gritante é a presença de uma médica dentista, que vai para mais de seis meses que não trabalha. Razão simples – a cadeira está avariada.

A imagem exterior é de completo abandono, lixo e incúria a montes… parece uma casa desabitada e sem nada para dar.

A falta de material é uma constante e a frustração dos profissionais abnegados é bem notória.

E o responsável da situação, onde está, onde anda, que nada faz, nada resolve? Pois é, o diretor executivo do Agrupamento de Centros de Saúde Dão – Lafões, nomeado até 27 de julho de 2017, o licenciado Luís Manuel Chaves Soveral Botelho, que foi justamente nomeado, atendendo à competência técnica, aptidão, experiência profissional e formação adequada.

Este é um senhor de comportamento estranho, que foge dos funcionários, que não fala sequer à maioria deles…

Enquanto isto, nós por aqui no concelho, sem alternativa, vamos clamando a Santa Bárbara, um raio providencial.”

 

Reflexão generalista do editor:

Enquanto os partidos não se convencerem de que os comissários políticos que nomeiam para lugares decisórios e de responsabilidade serão em primeira instância a imagem do próprio partido e em derradeira instância a de quem os nomeou, com base na “cunha” ou no cartão laranja, rosa ou azul, o descrédito é total e tem efeito de boomerang.

Pena é a impunidade/imunidade dos desacreditados nomeadores, essas “duquesas de Windsor” que arrastam por inaugurações e festarolices a sua deslumbrada mediocridade.

 

(foto DR tirada do blogue “O Farol da Nossa Terra”)

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub