Análises confirmam contaminação das águas em Dardavaz

por Rua Direita | 2019.03.16 - 21:03

 

A Poluição Proveniente da ZIM da Adiça Continua

O Rio Criz, o Rio Dão e a Albufeira da Barragem da Aguieira estão, como temos denunciado, sob enorme pressão provocada por descargas legais e ilegais nestes cursos de águas e nos seus afluentes.

As situações mais gritantes, com impactes na saúde pública, são as descargas provenientes da Zona Industrial Municipal da Adiça, concelho de Tondela, para a ribeira que atravessa a população de Dardavaz.

Uma das proveniências tem origem na ETAR Municipal desta Zona Industrial, da qual o presidente da Camara Municipal já confirmou não estar a funcionar em pleno, após ter desvalorizado a situação, dizendo que a espuma exagerada que ali é visível tem origem na água a bater nas pedras. Estes efluentes são canalizados para uma zona de difícil acesso depois da povoação de Dardavaz.

Outra proveniência são as descargas ilegais da indústria nos coletores das águas pluviais que têm o seu emissário com líquido a escorrer faça chuva ou faça sol, provocando a contaminação de toda a população de Dardavaz.

O Bloco de Esquerda tem acompanhado esta situação concreta desde setembro do ano passado, tendo denunciado a mesma várias vezes às entidades competentes e à comunicação social.

Temos também sensibilizado a população local para os perigos de consumir aquela água.

Águas Do Subsolo E Da Ribeira Impróprias Para Consumo Humano E Animal

O Bloco de Esquerda juntou-se à população e recolheu águas de um poço e do ribeiro, com o objetivo de perceber se as mesmas estão em condições de serem usadas para consumo humano ou para rega e consumo animal.

Os resultados foram conclusivos e ambas não se encontram em condições, em vários parâmetros, tanto nas análises nas microbiológicas como nas físico-químicas. Podemos ler na interpretação da empresa que realizou as análises que mandamos fazer:

…claramente as duas águas (riacho e poço) são impróprias para consumo quer humano quer animal uma vez que existe uma elevada contaminação bacteriológica nos dois sistemas pelo que em nenhum momento aconselhamos o consumo desta água. Existe, inclusivamente, contaminação que pode ter origem fecal.”

“Em termos físico-químicos (…) Os valores do manganês e ferro (poço) acrescido da cor e turvação (riacho) encontram-se fora dos limites e levam a que a água não cumpra o referido Dec-Lei. [Dec-Lei 152-2017]”

Denúncias Às Entidades Competentes Sem Resposta

Das várias denúncias que o Bloco de Esquerda fez à APA – Agência Portuguesa do Ambiente e SEPNA-GNR – Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente, nenhuma obteve resposta. Em ambas pedimos que nos informassem das diligências efetuadas e a efetuar no âmbito dessas denúncias.

As denúncias enviadas contêm registos fotográficos e vídeo dos locais das descargas, do estado degradante em que se encontra a ribeira, do local de confluência desta com o Rio Criz e dos coletores das águas pluviais da ZIM, ao longo do tempo, bem como dos comprovativos de denúncias à Camara Municipal e APA que datam de 2015 e 2016.

Pergunta Ao Governo Sem Resposta Há 3 Meses

Também o Ministério do Ambiente ainda não respondeu à pergunta apresentada pelo Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda no início de dezembro, não respeitando os prazos regulamentares.

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalhePerguntaRequerimento.aspx?BID=109210

Iremos entregar nova pergunta ao governo para saber o que pretendem fazer para que esta situação seja resolvida de forma célere, mas também para perceber se a ETAR do Município se encontra licenciada e, sabendo as autoridades que a mesma continua a descarregar para esta ribeira, se o município ou as empresas envolvidas já foram de alguma forma punidas por continuar a incumprir.

Carlos Couto

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub