Amigos de Peniche? Quem?

por Rua Direita | 2016.06.23 - 19:37

Ainda o tão esperado Centro de Referência para a área Oncológica de Adultos, ou como se acusa uma Instituição respeitável de “Amigos de Peniche” sem se dar uma explicação…

Na última reunião da Assembleia Municipal de Viseu, realizada em 29 de abril do corrente ano, durante o período de antes da ordem do dia, o Ex.º Sr. Presidente da Câmara de Viseu comentando o problema relacionado com a exclusão da candidatura do Centro Hospitalar Tondela Viseu a Centro de Referência para a área de Oncologia de Adultos – Cancro do Reto e Cancro Hepatobilio/Pancreático, pela mesma ter dado entrada fora de prazo, referiu-se à Liga de Amigos e Voluntariado do Centro Hospitalar Tondela Viseu – Associação de Defesa dos Utentes da Saúde, reconhecida pelo Ministério da Saúde nos termos do artigo 7.º da Lei n.º 44/2005 de 29 de agosto, de forma deveras lamentável e atentatória da dignidade e do bom nome desta associação, atribuindo-lhe o epíteto de, e cita-se:  “dos Amigos … diria mesmo … de Peniche” o que, após termos lido, relido e ouvido gravação dos factos, nos mereceu a solicitação, em 09.05.2016, “de marcação de uma reunião com caráter de urgência ao Ex.º Sr. Presidente da Câmara Municipal de Viseu para clarificação da situação e eventuais equívocos”. Após aguardarmos pacientemente e passado um mês sobre esta solicitação, a mesma não mereceu qualquer resposta por parte do Ex.º Presidente do executivo viseense. Assim, no passado dia 8 do corrente mês de junho enviámos à presidência da CMV um e-mail informando que “dado o facto de até ao presente, não se verificar disponibilidade por parte de V.ª Ex.ª, informamos que iremos publicamente e pelos meios que entendermos mais convenientes… tomar posição sobre o assunto”.

Com efeito, não pode a Liga de Amigos e Voluntariado do Centro Hospitalar Tondela Viseu calar e pactuar com a forma ofensiva e trocista como foi tratada em sessão plenária e pública, ademais vindas essas ofensas da boca do mais alto responsável pelo governo do concelho de Viseu que deveria ter por nobre missão a busca do consenso e pacificação e não ‘atear o fogo’, usando para tal de forma injusta quem defende os que não se podem defender. Parece-nos ser uma postura pouco elevada, indigna e desrespeitosa de todos aqueles que, voluntariamente, sem nada exigirem em troca, contribuem no dia-a-dia  dando o seu tempo e esforço para que os viseenses possam usufruir de melhores condições, missão que, afinal, também cabe ao município.

Afinal, o Ex.º Sr. Presidente da Câmara Municipal de Viseu acusa a Liga de Amigos de não reunir com o Ex.º Sr. Presidente do Conselho de Administração do CHTV, o que não é verdade pois já reuniu muitas vezes, e é o mesmo Presidente de Câmara que não nos ouviu antes de nos chamar “Amigos … de Peniche” e não quis reunir connosco, posteriormente, para explicar porque o fez ou para ouvir o que teríamos para lhe dizer?

Na verdade, como não pudemos fazê-lo pessoalmente, vamos esclarecer por esta via :

1.    no passado dia 7 de abril, tomámos conhecimento, através do noticiário das 7:00h, da TSF, que a candidatura do Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV)  ao Centro de Referência supra citado, tinha sido excluída por ter dado entrada fora de prazo;

2.    nesse mesmo dia, contactámos telefonicamente o Ex.º Sr. Presidente do Conselho de Administração do CHTV que nos informou que este era um mero procedimento  formal e que o CHTV continuaria a realizar as cirurgias que sempre e, tão profissionalmente, vem realizando.  Ficámos menos preocupados e dispusemo-nos a intervir junto da tutela;

3.    no dia 15 de abril o “Jornal do Centro”  noticia que a “Candidatura fora de prazo exclui Viseu dos Centros de Referência na saúde”  e transcreve declarações do Dr. Ermida Rebelo que confirmam os acontecimentos e o desenlace da exclusão;

4.    no dia 18 de abril, depois dessas declarações a Liga de Amigos e Voluntariado do CHTV (LAVCHTV) decide enviar um ofício ao Ex.º Sr. Ministro da Saúde, solicitando esclarecimentos sobre:  a) a razão da não atribuição de Centro de Referência ao CHTV; b) até que ponto esta situação pode interferir na localização de um Centro Oncológico em Viseu; c) manifestámos as nossas preocupações relativamente aos profissionais médicos dos Serviços de Cirurgia, as provas dadas neste domínio, a preocupação da vasta população que o CHTV serve.

Por fim, nesse ofício solicitávamos a melhor intervenção e empenho no assunto por parte do Sr. Ministro da Saúde;

Ofício com o mesmo teor foi enviado ao Ex.º Bastonário da Ordem dos Médicos e entregue por mão própria ao Sr. Primeiro-ministro;

5.     no dia 18 de abril a LAVCHTV toma posição face aos acontecimentos relativos ao Centro de Referência, numa nota enviada à comunicação social;

6.    no dia 1 de  maio reunimos com  os Deputados da Assembleia da República , Hélder Amaral, do CDS/PP e António Borges do PS; no dia 16 de maio reunimos com os deputados Pedro Alves e  António Lima Costa do PSD. Estas reuniões tiveram o intuito de entregar documentos, discutir a situação do Centro de Referência  e solicitar a sua intervenção para tentar reverter a tomada de decisão da tutela.

No dia 29 de abril, o Ex.º Sr. Presidente da Câmara Municipal de Viseu decide, em plena Sessão Pública da Assembleia Municipal destratar a LAVCHTV de forma despudorada, indigna e com total falta de respeito por uma instituição legalmente constituída e reconhecida do concelho do qual é o máximo representante.

A propósito, gostaríamos de saber se o Ex.º Sr. Presidente da Câmara Municipal de Viseu  já pediu audiência ao Sr. Ministro da Saúde, tal como afirmou na mesma Sessão da Assembleia Municipal e, em caso afirmativo, se já tem informações para nos dar sobre o Centro Oncológico de Viseu de que tanto se tem falado na última década mas sem resultados.  Também gostaríamos de saber se a “Petição Pública” de que o Sr. Presidente da Câmara foi o primeiro subscritor já recolheu o número suficiente de assinaturas e já foi entregue na Assembleia da República.

É que, para a LAVCHTV  é de extrema importância esta outra questão que está claramente ligada ao Centro de Referência, o Centro Oncológico de Viseu e que nós não o esquecemos e continuamos a lutar para que Viseu e a região tenham direito a ser tratados da mesma forma que outras regiões do mesmo padrão.

Pelo exposto demonstra-se à exaustão que não fomos nós que quisemos pôr ninguém contra ninguém, não fomos nós que noticiámos nada. Tudo foi noticiado pelos próprios, entenda-se Ministério da Saúde e Conselho de Administração do CHTV que deram informação aos órgãos de comunicação social. Só depois e porque são essas as nossas competências e o nosso conteúdo funcional, no fim a nossa obrigação legal como associação de defesa dos utentes da saúde, então tomámos posição e reivindicámos. Supomos que o Sr. Presidente da Câmara também já tenha reivindicado junto da tutela a reversão da situação, tal como nós!

Mas já não estranhamos esta forma do Ex.º Sr. Presidente da Câmara lidar com a Liga de Amigos e Voluntariado do Centro Hospitalar Tondela Viseu. Há mais de um ano, em abril de 2015, aquando da nossa apresentação de cumprimentos no gabinete do Sr. Presidente foi-nos garantido pelo próprio ser um dado adquirido a Unidade de Radioterapia vir, muito em breve, para Viseu de acordo com “uma reunião recente com o senhor ministro da Saúde em que ficou definido que a Unidade de Radioterapia será instalada em Viseu, não no centro hospitalar, mas sim numa unidade de saúde privada com protocolo com o SNS” (in Diário de Viseu de 21 de abril de 2015). Como não nos foi pedida reserva de informação ou sigilo e como ficámos tão satisfeitos como o Ex. Sr. Presidente da Câmara estava, assumimos como normal informar quem representamos. A comunicação deu notícia e o Ex.º Sr. Presidente veio chamar-nos mentirosos! …

Até hoje não temos Unidade de Radioterapia, nem Centro Oncológico, infelizmente. Nem público, nem privado. Pese embora o Ex.º Sr. Presidente da Câmara de Viseu, na Sessão Ordinária da Assembleia Municipal de 27 de fevereiro de 2015 tenha já afirmado (ver ata, pp 43 e 44) que o que queria era a radioterapia em Viseu, ainda não a temos … também nós queríamos e queremos. Por isso existimos para nos batermos por esse e outros desideratos.

Para terminar resta-nos esclarecer que, na passada 2.ª feira, dia 20 de junho de 2016, recebemos do Gabinete do Senhor Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Professor Doutor Fernando Araújo, a resposta ao nosso ofício de 18 de abril de 2016 (supra referenciado) e que, entre outros esclarecimentos importantes, todos eles prestados pelo Senhor  Professor Doutor João Lobo Antunes, se reitera que “O Centro Hospitalar Tondela-Viseu, EPE, apresentou candidatura às referidas áreas, em 22 de setembro de 2015, o que motivou a sua exclusão com fundamento em intempestividade” .  Lamentamos o facto e os esclarecimentos supervenientes  constantes do documento, que não queremos divulgar e voltamos a afirmar que continuaremos a bater-nos por melhores condições para os serviços de saúde na nossa região.

Queremos reafirmar, para os que confundem as coisas, que só somos políticos na exata medida em que somos cidadãos e temos intervenção pública. De resto só nos move o cumprimento dos objetivos que constam nos nossos estatutos e a nossa consciência que queremos seja crítica e construtiva. De resto respeitamos todos. Assim os outros o façam.

Viseu, 21 de junho de 2016

O Presidente da Direção,

 

(Fernando Luís Monteiro Bexiga, Doutor)

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub