“Acredito piamente neste projecto, como se fosse o meu projecto…” João Azevedo na apresentação da marca Vale da Estrela – Beira Alta Mangualde, na COAPE

por Rua Direita | 2015.12.31 - 18:20

 

Câmara de Mangualde atrai investimento e vai ter queijo de excelência

 

Este mês de Dezembro foi pródigo em atracção de investimento para a autarquia capitaneada por João Azevedo.

O Grupo Antolin vai investir 4 milhões de euros criando 55 postos de trabalho. Este grupo é um dos principais produtores mundiais de interiores para automóveis e emprega actualmente cerca 28 000 pessoas, em cerca de 160 unidades industriais espalhadas por 26 países, com um volume de facturação anual superior a 4 mil milhões de euros.

Por seu turno, a empresa Azurmetal, Metalurgia Azurara Lda. adquiriu cerca de 14.000m2 de terrenos ao município de Mangualde para a construção de novas instalações industriais que permitirão criar as condições necessárias para a dar resposta ao incremento da sua produção e expansão desta unidade fabril de metalomecânica em Mangualde. A Azurmetal emprega actualmente cerca de 50 colaboradores e prevê um investimento faseado na nova unidade fabril permitindo também a criação no futuro próximo de novos postos de trabalho.

 

Desta feita, dia 29 de Dezembro, o mangualdense, Jorge Coelho, veio à sua terra natal expor um investimento aos seus futuros parceiros comerciais, um novo projecto na área dos produtos lácteos e dos frutícolas.

op4low

A COAPE-CIDECA, elemento axial para a implementação deste investimento, na figura do seu presidente, Rui Costa, acolheu o empresário de Contenças e o gestor Luís Ferreira e, perante toda a direcção, com a presença do presidente da Autarquia, dirigente da ANCOSE e dos produtores de ovelhas bordaleiras do concelho, foi explanado com rigor e clareza toda a grandiosidade e extensão da nova empresa Vale da Estrela – Beira Alta Mangualde, que estará a laborar em Janeiro de 2017, vai criar cerca de duas dezenas de novos postos de trabalho e gerar riqueza e estabilidade no sector dos lácteos, ao mesmo tempo que difundirá o nome de Mangualde associado ao queijo da Serra – DOP, em Portugal e no estrangeiro.

op5

Mas antes, e depois de um exaustivo dia de trabalho, para “recarregar a energia”, foi servido nas instalações da COAPE-CIDECA um convivial repasto de muita confraternização e boa disposição onde estiveram todos os referidos.

O evento acabou à meia-noite e o saldo final foi francamente positivo, segundo a opinião de todos os parceiros sociais, pilares e força deste inovador projecto.

op12ve

 

O presidente da COAPE, Rui Costa, referiu na sua alocução de abertura, dirigindo-se aos pastores presentes:

op7

“Hoje damos aqui um passo muito importante para a região e para melhorar as vossas condições de vida, aumentar as vossas receitas e a qualidade de vida de cada um. A COAPE está convosco, do vosso lado para conseguirmos ter capacidade para juntos termos uma palavra no preço a que vendemos o leite. Isoladamente isso é difícil de conseguir, todos juntos, unidos, de boa-fé e de uma forma honesta alcançaremos os melhores resultados e os maiores proveitos. Ninguém é obrigado a aderir a este pacto. Estamos aqui de livre vontade e congregados num ideal comum. A Cooperativa, a COAPE está convosco neste projecto. Os doze produtores aqui presentes serão os fundadores da OP de leite. Vamos arrancar com os pés bem assentes no chão e ganhar toda a experiência nesta área do maneio, da produção e comercialização de leite. Também para isso aqui está o Dr. Duarte, veterinário que vos acompanhará futuramente, profissional experiente e conhecedor da realidade do concelho, o que nos é fundamental. Este passo aqui hoje dado é decisivo. Chegámos aqui com muita “pedra partida”, vários debates, algumas reuniões. Hoje, aqui, clarificam-se as posições e é hora de tomar as decisões. É muito bom sabermos que há alguém empenhado em comprar o nosso leite, em praticar bons preços, a garantir durabilidade e constância no tempo e nos contratos. A realidade concreta é esta empresa que aqui se vai instalar e vai comprar o leite dos produtores do concelho de Mangualde. Isso permite-nos encarar e arrancar com este projecto de forma mais sustentada. Ninguém tem dúvidas acerca das pessoas com quem lidamos, gente de honra e que honra a sua palavra. Nós temos que saber acolher essas qualidades e responder honrando a nossa.”

Jorge Coelho, de seguida, depois de agradecer ao presidente da COAPE ter proporcionado aquele encontro e o trabalho conjunto que tem vindo a ser desenvolvido de há um ano até agora, referiu:

op8

O saber existente que encontrei na COAPE facilitou muito este projecto. Aprendi na minha vida que não é muito bom uma pessoa meter-se num negócio que desconhece… embora eu seja da aldeia de Contenças e o meu avô já negociasse em queijo que comprava aos produtores da serra da Estrela e trabalhava no rés-do-chão de nossa casa, onde hoje ainda existem as queijeiras. O queijo chegava ali ainda por acabar de fazer, era virado todos os dias, manualmente curado. E eu, que tinha uma grande paixão pelo meu avô, o meu pai morreu tinha eu seis anos e ele foi o meu segundo pai, com quem eu, as 5 da manhã ia a pé para a serra, para as feiras, de Celorico, de Fornos, da Carrapichana… Aí dei os primeiros passos neste mundo do queijo. Isso passou e a vida levou outro rumo.

Aqui há uns dois anos, a Casa da Ínsua e a Câmara de Penalva do Castelo fizeram um evento para o qual convidaram grandes especialistas e cozinheiros de renome nacional e propuseram uma refeição inteira à base de queijos. A certa altura peguei num folheto sobre a zona demarcada do queijo da Serra da Estrela. Para meu espanto vejo lá Mangualde e questionei-me: Qual o queijo DOP de Mangualde? Conheço o de Celorico, de Fornos, de Seia, de Gouveia, de Oliveira do Hospital. De Mangualde não havia… O tempo passou, falei com algumas pessoas, aprofundei o conceito e apossou-se de mim a ideia de apostar nesta área e em Mangualde, a minha terra, criando um queijo da Estrela localmente aqui produzido e que terá como marca “Vale da Estrela – Beira Alta Mangualde”.

op9

Para isto, primeiro era preciso ter leite de boa qualidade, pessoas que cuidem das ovelhas e tenham excelentes rebanhos. Depois era preciso encontrar quem fizesse o queijo e fui contratar a uma queijaria a qualificada técnica, na área especializada, que faz o queijo que é, por exemplo, vendido no Corte Inglês. Identificámos a realidade local, a COAPE fez o levantamento no sector. Encontrámos e comprámos o terreno, está feita a escritura. Situa-se no parque industrial do Salgueiro e, no dia 14 de Janeiro, o projecto irá dar entrada para começar de imediato a ser concretizado. A COAPE e a Câmara de Mangualde têm sido fundamentais para esta operacionalização. As decisões estão tomadas. O projecto está pronto. O terreno está comprado e o financiamento tratado. É um projecto importantíssimo para mim, pois é a primeira vez que invisto na minha terra e não quero que corra mal. Correr bem não é só ter resultados comerciais positivos, é também criar melhores condições de vida para todos quantos trabalhem nele. Quem negoceia num colectivo, como afirmou o senhor presidente da COAPE, tem melhores condições do que aquele que negoceia individualmente e posso garantir-vos aqui que após o nosso entendimento, o preço do leite será igual durante toda a época, os pagamentos serão integralmente cumpridos na hora e a segurança aumentará, como uma vitalização constante da qualidade do leite. Garanto: na próxima época que começará em Outubro teremos tudo pronto!

op13

Seguiu-se-lhe Luís Ferreira, gestor do investimento, que fez a vídeo projecção e clara explicação de todas as suas fases.

João Azevedo, presidente da edilidade, ao encerrar a sessão, concluiu:

op10

“Quando o Dr. Jorge Coelho me telefonou e disse ter esta ideia para o concelho eu fiquei extremamente satisfeito. Porquê? Porque é um filho da Terra que, enquanto teve outras funções, foi a pessoa que mais ajudou o concelho nas decisões governamentais, mas hoje, depois dessa vida mais politizada e mais de missão pública vem investir o seu dinheiro em Mangualde. Isto é uma questão de confiança. Não só para mim mas também para vocês. Quero dizer-vos que se este projecto falhasse eu falhava. Este projecto só é feito porque o Dr. Jorge Coelho quer investir na sua terra, na terra que o viu nascer, porque lhe são muito importantes as suas raízes, que nunca esqueceu. Esta relação de confiança tem que se estender agora a todos os presentes. Por seu lado, o Dr. Rui Costa, da COAPE, assumiu desde o primeiro momento, com coragem, este projecto. O Dr. Jorge Coelho disse-me. “Eu quero investir em Mangualde, mas em primeiro lugar quero alavancar quem produz o leite.” E eu digo-vos que além da confiança transmitida, e eu sou a melhor pessoa nesta sala para vo-lo dizer, é determinante o aspecto solidário que ele tem com as pessoas, jamais privilegiando o lucro em detrimento da vossa vida. Mas isso tem um custo: a exigência que ele põe em todas as vertentes da sua vida e que, agora, aqui transmite a todos nós e espera de todos nós. Por isso, só temos a ganhar produzindo bom leite. Leite de excelência. E com isso todos ganharemos e mais ganharemos sabendo que o Dr. Jorge Coelho assume uma óptica social e humanista com os produtores. O Dr. Jorge Coelho está a apostar neste concelho e eu quero provar que sou o melhor presidente de câmara e que este projecto colectivo tem tudo para ser um sucesso. Agradeço-lhe profundamente o seu empenho em vir para a sua terra. Sei que a este investimento outros se sucederão aqui, e também no sector primário. O município agirá no sentido de ser um parceiro também empenhado em toda a sua abrangência.

Estamos nas faldas da Serra, produzimos queijo mas não temos um único queijo certificado do concelho. A partir de agora temos que rentabilizar esta marca como a melhor marca desta região. Conto convosco. Prometemos à população que iríamos transformar o sector primário em Mangualde.

Hoje temos um grande presidente da COAPE. Temos milhares de metros quadrados de frutos vermelhos espalhados pelo concelho, temos produção de vinho, vamos ter a produção de leite, temos formação profissional sectorial… por isso vamos dar continuidade a estes projectos no sector primário para que Mangualde fique mais forte.

Tenho toda a esperança neste projecto. Acredito piamente neste projecto, como se fosse o meu projecto e dizer-vos que não tenho dúvidas nenhumas que o Dr. Jorge Coelho, continuando a senda de filho desta terra vai engrandecer-nos a todos.”

jant

opcapalow

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub