A Grande Festa da Castanha e… do BTT

por Paulo Neto | 2015.10.28 - 23:32

 

 

 

 

Decorreu nos passados dias 23, 24 e 25 de Outubro a XXIIIª edição da Festa da Castanha, em Sernancelhe.

Um dos ex-libris do concelho, conjuntamente com Aquilino Ribeiro e o Santuário da da Lapa, a castanha foi elevada aos merecidos píncaros neste evento.

Na sexta-feira foi feita a abertura oficial do certame pelo secretário de Estado das Comunidades, José Cesário. Acorreu muito público e estiveram presentes vários autarcas, principalmente do norte do distrito e diversas personalidades políticas.

ces carlos

Até à meia-noite, o Exposalão esteve cheio para o espectáculo do grupo “Sons do Minho”.

conc

O sábado, ameno, iniciou-se com o passeio pedestre “Rota da Castanha e do Castanheiro”, procedeu-se ao concurso da Melhor Castanha DOP – Castanhas Soutos da Lapa e  ao concurso gastronómico do Melhor Doce da Castanha.

passeii

O dia decorreu com muita música, animação e imensos visitantes.

O domingo foi o culminar destes três dias com mais de 10 mil visitantes. Não havia mais lugares para estacionar, os restaurantes em redor tinham filas às portas e a “tenda” montada à esquerda do Exposalão, exclusivamente para refeições, com vários restaurantes presentes, não tiveram mãos a medir. O edifício foi pequeno para comportar tal afluência.

carlos1low

jurii

jaime

pre1

bolos

suz

A título de curiosidade, a organização assou 1.200 quilos de castanha que foram “devoradas” pela multidão.

O grande momento do dia foi a VIIIª prova de BTT “Rota da Castanha e do Castanheiro” que teve a adesão de um milhar de “betetistas” de norte a sul de Portugal.

btt5low

btt14low

btt9low

btt15low

btt16low

Primorosa, rigorosa, eficiente, a organização apresentou-se no terreno com uma logística sem falhas, proporcionando um evento desportivo do melhor que se faz em Portugal.

Os participantes foram entusiásticos na sua apreciação e os trilhos percorridos, de imensa beleza natural e “obstáculos” variados, fizeram a alegria de todos.

Com dois graus de dificuldade em dois percursos alternativos de 50 e 25 quilómetros, juntou este VIIIº evento, jovens e menos jovens, pais e filhos e… essencialmente, muita “affición” e desportivismo em animadíssima convivialidade.

Deixamos link para mais informação…

http://www.ruadireita.pt/editorial/sim-e-uma-festa-10962.html

 

Ouvimos o presidente da autarquia, Carlos Silva Santiago, naturalmente cansado mas feliz pelo sucesso obtido, que espelha também o êxito de uma magnífica equipa de colaboradores, inexcedíveis na sua “paixão” pela terra e pelo concelho de Sernancelhe, uma vez mais de parabéns.

“Desde há 23 anos, foi sempre a ideia do autarca José Mário Cardoso homenagear os produtores de castanha e a castanha, ex-libris de Sernancelhe. Forçoso é referir que a castanha é um produto muito importante para a economia e desenvolvimento do concelho, pois cada vez mais, um conjunto alargado de famílias têm para a sua sobrevivência o resultado desta época sazonal e da apanha da castanha. Por isso é que esta Festa, festa do povo, tradicional, tem uma mistura cultural, económica e gastronómica deste mundo rural, nesta terra de Aquilino, sendo uma justa homenagem ao produto endógeno em questão.

Sem pioneirismos, se cada um no seu território souber tirar partido daquilo que apesar de ser um simples produto agrícola pode ser uma mais-valia, aí sim, se me disser que Sernancelhe, ao longo destes 23 anos tem sabido aproveitar e estimular os produtores, tem sabido gerar condições para melhorar a qualidade do castanheiro e da castanha, digo-lhe que nos sentimos muito honrados por termos trilhado esse caminho.

Num ano bom estamos a falar de uma produção de 1000 a 1300 toneladas de castanha. Este ano rondará as 900 a 1000 toneladas, mas em todo este território mais lato de designação de origem controlada Soutos da Lapa, num ano bom poderemos chegar às 10000 toneladas.

Temos vários tipos de mercado. Podia identificar-lhe 10 ou 12 países para onde exportamos castanha, essencialmente na Europa, mas temos também um bom mercado na África do Sul e um excelente mercado no Brasil, mas na verdade, 50% da castanha produzida em Sernancelhe fica em Portugal e precisávamos de produzir 4 ou 5 vezes mais para ganharmos escala, nos tornarmos auto-suficientes e termos mais quantidade e qualidade para o mercado externo, que nos promove e valoriza o produto e ao valorizá-lo dá mais lucro ao produtor.

A castanha é hoje um produto gerador de riqueza para Sernancelhe servindo, por exemplo, para fazer em Itália cerveja de castanha, em França e em Espanha o famoso gourmet  marron-glacé, sendo também a castanha dos assadores de barro. É uma castanha que ultrapassa culturas e é transversal a todas as classes sociais e esta democraticidade, esta transversalidade é o seu principal atributo e virtude…”