VISEU SOCIAL: MIGRANTES

por José Carreira | 2015.12.05 - 21:31

 

 

A Associação Mundificar em parceria com as Obras Sociais do Pessoal da Câmara Municipal e Serviços Municipalizados de Viseu e o IEFP, IP – Centro de Emprego e Formação Profissional de Viseu promoveram a Conferência “Dialogar, Conhecer e Inovar: Novos desafios na integração de migrantes” que se realizou no dia 04 de dezembro de 2015, no Auditório do Centro de Formação Profissional, em Coimbrões.

Na sessão de abertura intervieram Rogério Sousa (Presidente da Associação Mundificar); Elisete Bastos (representante das Obras Sociais); Almeida Henriques (Presidente do Câmara Municipal de Viseu); Telmo Antunes (Diretor da Segurança Social de Viseu)  e Marta Rodrigues (Diretora do Centro de Emprego e Formação de Viseu).

IMG_3116

A conferência de abertura contou com o contributo do investigador Pedro Gois, da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

No primeiro painel – “A organização de programas e respostas para o acolhimento de refugiados” – deram o seu contributo Eduardo Sá do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e Ilina Fraga, Bastonária da Ordem dos Advogados.

No período da tarde, Raquel Rebelo, da ONG Médicos do Mundo (MDM), no segundo painel – Soluções e respostas para a integração de migrantes – deu o seu testemunho, alicerçado na experiência acumulada na execução de múltiplos projetos de intervenção, em Portugal e no estrangeiro. O papel dos MDM, por exemplo, em Calai e Munique  tem sido determinante na manutenção das condições básicas dos muitos migrantes que aí se encontram. Ana Paula Marques, da Segurança Social de Viseu, e Patricia Filipe, Coordenadora da Amnistia Internacional  deram também o seu contributo, explicitando o trabalho que está a ser desenvolvido pelas entidades  que representam.

A encerrar os trabalhos, Dário Gomes (Associação Mundificar ) e José Carreira (Obras Sociais) apresentaram o Programa Mentores para Migrantes[1] que irão desenvolver em parceria como Alto Comissariado para as Migrações[2] (ACM) e assinaram o respetivo protocolo de colaboração. As quase duas centenas de pessoas que estiveram presentes, são a prova do empenhamento dos portugueses na integração das pessoas que chegam e precisam de apoio na sua plena integração na sociedade portuguesa.

[1] https://mentores.acm.gov.pt/home

[2] http://www.acm.gov.pt/inicio