VISEU MERECE MELHOR

por PN | 2019.05.22 - 10:41

Começam a ser por demais recorrentes as queixas sobre actuações deste executivo camarário viseense, nomeadamente do seu presidente e vereador da cultura, turismo e mais umas coisas.

A consciencialização geral e gradual do bluff que estes indivíduos representam, em termos de incumprimento dos conteúdos funcionais mais básicos que lhes estão atribuídos, apenas é superado pelas fantasiosas modernices que nascem quase todas mais claudicantes que a velha mula do cónego de Gradiz, ou alardeadas no bruáá da friendly press, mesmo se de ficção científica se trate.

Cada vez mais e à medida que este segundo mandato se escoa – do primeiro nada de substantivo se viu – ficamos com a nítida percepção de que também deste mandato nada se verá de relevante. A não ser consequências perduravelmente danosas para a cidade, como os “buracos-Saba” de estacionamento, entre outras.

Falhando em quase todos os macro pontos da sua “carta de intenções autárquica”, nitidamente de norte perdido, despendendo fortunas a comunicar os seus “sonhos de uma noite de Verão” – “quem não comunica não existe”, AH dixit – encontrou este autarca uma nova forma de exercício das funções públicas para que foi eleito: falar muito e fazer pouco. Aliás chega a ser doentia a sua avidez por microfones e máquinas de retrato…

E de todo este parlapied que sobra? Nada que se veja. Confusões. Alegadas irregularidades, como no concurso do MUV. Farsolices com cartazes e CNE. Desleixo. Incúria e… uma já provada e manifesta incapacidade de FAZER.

Se tudo lhe correr a preceito e não deixar o cargo antes, tem 20 meses para provar o que vale e o que não provou em seis anos e meio.

O resto, é prestidigitação pura, ilusionismo ambíguo, malabarismo “pires” e… holofotes cálidos.

Viseu Merece Melhor.

Paulo Neto

(Fotos DR)