Uma Câmara entupida?

por PN | 2017.03.06 - 09:26

 

 

A CMV, fruto da política do seu executivo muito mais centrada no acessório do que no essencial, descura com perigo dos seus munícipes certos serviços básicos de saneamento, águas pluviais e outros.

Assim, não é novidade o entupimento de redes de escoamento como o evidente e bem visível nas imagens, tiradas a caixas de águas frente ao Hotel Montebelo. Se isto é assim por aqui…

Conjecturamos que hoje, alguns técnicos com responsabilidades dirigentes e com responsabilidades, laboram ao Deus-dará, sem uma visão profiláctica dos problemas e, mais grave, sem o estímulo, empenhamento e a diligência para os conhecerem e evitarem.

Nada que nos admire, pois a recentralização no imediato visível é uma prioridade deste executivo, sendo vulgar vermos jardineiros aos magotes de uma dezena a cuidar de uma rotunda – aquilo que o olhar vê – e, anos a fio, ausência de limpeza deste tipo de redes descrita.

Por isso, bastam meia dúzia de dias de chuva mais ou menos intensa para os cidadãos se depararem com esta exsudação e refluimento de caudais que o escoamento já não comporta.

Entupimentos, decerto, a montante. Porquê? Por falta de manutenção e limpeza, naturalmente.

Pagamos impostos elevados, IMIS desmesurados e… a tal qualidade de vida da 1ª Cidade para Viver, nas ocultas dos seus redutos básicos, é o que se vê.

Também isto é Viver Viseu. E no quotidiano.

Naturalmente que aqueles que são tão instadamente convidados a Visitar Viseu, não têm nem terão esta percepção da realidade meio intrujada com que nós, os munícipes pagadores de impostos, deparamos no dia-a-dia.

Se saíssem mais da comodidade do “dolce far niente” e fossem para o terreno, decerto não ignorariam os factos, mas… nós sabemos mas não compreendemos, está a chover e o frio…