Um Pavilhão de um milhão que mete água

por Carlos Cunha | 2015.11.23 - 23:22

 

 

Volvido um mês da inauguração das obras de renovação do Pavilhão Gimnodesportivo do Fontelo começam a surgir as primeiras reclamações referentes a algumas deficiências na construção e não só.

Com efeito, não era esperado que uma obra que custou ao erário público cerca de um milhão de euros, ainda que mais de metade assegurado por Fundos Europeus, metesse água assim que as primeiras chuvas mais intensas se fizeram sentir, perturbando a prática desportiva dos atletas e dos seus treinadores, que se viram obrigados a adiar treinos ou competições ou em alternativa procurar outros recintos desportivos da cidade.

Na última Assembleia Municipal (AM) o assunto foi trazido à liça pelo Bloco de Esquerda, tendo Almeida Henriques referido que a oposição gosta é de dizer mal, uma vez que a obra se encontra na garantia, havendo ainda a caução que o empreiteiro teve de entregar para fazer face a imprevistos deste género.

Até aqui tudo certo, no entanto, a Autarquia dispõe, nos seus Quadros de Pessoal, de funcionários devidamente habilitados a quem cabia a responsabilidade de acompanhar e supervisionar o andamento da empreitada e que, perante os factos agora conhecidos, não efetuaram devidamente o seu trabalho.

Caberá, portanto, a Almeida Henriques apurar responsabilidades internas no sentido de procurar saber o que falhou e se este não o fizer deverá ser a oposição a exigir que o faça.

Finalmente, em relação ao funcionamento do Pavilhão ouvi reclamações sobre a ausência de aquecimento nos balneários e também de não haver um funcionário responsável pela colocação e retirada do material destinado à prática desportiva, uma vez que têm sido os jovens atletas e os seus treinadores a fazer esse trabalho, fazendo-os assim desperdiçar tempo que deveriam dedicar por inteiro à atividade desportiva.

Resta-nos, portanto, aguardar pelos esclarecimentos do Presidente do Município e que estes cheguem antes das celebrações natalícias.

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub