Um Fontelo pouco convidativo

por Carlos Cunha | 2015.09.11 - 19:27

 

         Uma corrida matinal levou-me, por estes dias, até ao Parque do Fontelo. Fiquei-me apenas pelo espaço exterior à mata, mas foi o suficiente para ver que algo não anda bem.

Parece-me estranho que um Pavilhão, cuja requalificação custou perto de 1 milhão de euros, tenha as suas principais fachadas cobertas por painéis, que aliás até são de bom gosto e respeitam o enquadramento circundante. Mas será que o dinheiro gasto não foi suficiente para substituir as fachadas?

Detive seguidamente o meu olhar pelo Parque de Merendas paralelo ao quase requalificado Pavilhão e saltou-me à vista um certo desleixo a começar pelo chão coberto de folhas e ainda estamos a mais de um mês do início do outono.

A antiga fonte encontra-se “seca” e o tanque que a ladeia está completamente vazio, constituindo assim um fraco cartão-de-visita para quem demanda aquele espaço para “piquenicar”.

Tenho saudades do tempo em que daquela fonte corria uma água fresca que nos matava a sede a seguir a um treino ou a um passeio com os amigos.

O mobiliário do Parque de Merendas também está longe da sua melhor forma e carece de reparação, nomeadamente de envernizamento.

Honestamente, não sei o que anda a fazer o vereador responsável por este pelouro, pois quando se deslocam ao Pavilhão para ver o andamento das obras bastava desviar o olhar e facilmente detetariam estes problemas.

Alguns dos cedros ali existentes, apesar da provecta idade, precisam de cuidados especializados. As folhas estão amarelecidas, havendo um ou outro em que estas quase desapareceram, vislumbrando-se os finos e compridos galhos, reveladores do mau estado em que estas árvores se encontram.

Aqueles que governam não podem amolecer nem andar distraídos. A sua inércia contribui para a desvalorização de um dos espaços mais nobres e emblemáticos da nossa cidade.

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub