Tiririca, o palhaço mais sério entre os palhaços do Brasil!

por Amélia Santos | 2016.04.27 - 19:31

 

Não morro de amores por Dilma Rousseff. Nunca considerei que ela tivesse carisma, essa característica que não sabemos bem definir, mas que se sente quando se ouve falar alguém, neste caso, um político… Nunca me seduziu, nem impressionou, nem convenceu… Nunca a achei capaz de continuar o trabalho de Lula da Silva. Nunca acreditei que ela conseguisse levar o Brasil a bom porto. Faltou-lhe sempre, na minha opinião, a grandeza e capacidade para ir mais além…

Mas quando assisti ao impeachement da presidente Dilma na câmara dos deputados, a este desfile carnavalesco em que cada deputado parece estar a concorrer ao lugar do mais ridículo na câmara, fiquei simplesmente chocada. Nunca pensei que a ignorância alcançasse tais patamares, ousasse gritar tão alto e mostrasse ao mundo inteiro o verdadeiro significado do que é a injustiça e a cobardia. Do que é o golpe grosseiro, a vingança e a traição. Daquilo que são os maus princípios e a despreocupação com isso…

O que está a acontecer no Brasil parece uma farsa cómica, um sketch para nos fazer rir e mostrar, ridicularizando, o que por vezes acontece nos bastidores da política. Mas não é um sketch, não é teatro, não é representação. É a pura realidade. Um elevado número de deputados vota a favor do impeachement da presidente, usando argumentos risíveis e anedóticos, de quem nada sabe do que se está a tratar, daquilo que está em causa, do que é plausível. Então ouvimo-los justificar que votavam sim pela família, por Deus e pela pátria… estranha e bafienta trilogia. Mas outros argumentos igualmente extraordinários são invocados: “contra o ensino de sexo a crianças na escola”… O que é isto? Perguntamos… Que falta de senso e de siso… No meio deste triste circo, o palhaço Tiririca destaca-se pela sobriedade da declaração: “Voto sim.” Ponto final.

Eduardo Cunha (PMDB) é o Presidente da Câmara dos Deputados, um dos grandes impulsionadores e defensores do impeachement (que mais não é do que um golpe) acumula acusações, é réu do processo Lava- Jato e investigado noutros processos de corrupção, dos mais antigos aos mais recentes “papéis do Panamá”. Foi chamado de ladrão, bandido e corrupto. Veja-se a seriedade deste processo! Veja-se o perfil de quem quer destituir a presidente! Um deputado chegou mesmo a dizer que, por ter ajudado a derrubar Dilma, ele deveria ser amnistiado… Estas e outras são verdadeiras alarvidades. Envergonham os brasileiros. Envergonham os brasileiros sérios. Deixam-nos sem palavras a nós portugueses, irmãos de língua e da história. Deixam que a credibilidade internacional do Brasil fique seriamente afetada, depois de estas imagens percorrerem mundo.

Ouvi por estes dias uma dona de casa brasileira que dizia que ela era contra a Dilma, mas quando assistiu pela televisão a este circo, percebeu tratar-se de um golpe feio, de uma mentira em que muitos foram embarcando e pediu desculpas à presidente por ter sido levada nesta má onda…Também me junto a esta dona de casa, para pedir desculpas a Dilma. Por todo este julgamento sem acusação e por ser hoje ela a vítima de tamanha injustiça e vileza. Amanhã podemos, a um outro nível, ser cada um de nós…

Porque, pelos vistos, assim se derruba um presidente. Uma presidente que até ao momento, e contrariando o que acontece com a maioria de deputados, não está acusada de corrupção, nem de nenhum crime grave. Apenas de ter mentido sobre a real situação do país. E de ter feito malabarismos orçamentais… Certíssimo. Deve ser penalizada pelo povo. Nas urnas! Nas democracias ainda é o povo, com o seu voto, que elege presidentes. Pratica-se o vale tudo com desfaçatez. Derruba-se a democracia e privilegiam-se os interesses pessoais… Resta-nos saber o que vai acontecer no senado. Bastam 81 senadores convencidos para destituir a presidente!

Será que isto é uma amostra dos bastidores da política? Acontece em todo lado, com mais ou menos disfarce? Meu deus, que vergonha! Pela família, é uma vergonha. É uma vergonha, pela Pátria… É uma verdadeira vergonha!

 

Licenciatura em Estudos Portugueses pela FLUL (1996) Pós Graduação em Museologia pela FLUP (2008) Mestrado em Ensino do Espanhol pela UBI (2011)

Pub