The odd life of Timothy Green – Adoção: Afetos e etapas

por Sara Alves | 2017.02.04 - 14:21

 

 

 

 

The odd life of Timothy Green é um filme de 2012 escrito e dirigido por Peter Hedges, com produção da Walt Disney Pictures que conta a história de um menino peculiar e de um casal.

O filme inicia-se com um casal a ter uma entrevista num serviço de adoção e a explicaram o porquê de pretenderem vir a ser bons pais.

Jim e Cindy Green são um casal que não consegue ter filhos biológicos por terem problemas de infertilidade o que os deixa emocionalmente frustrados e infelizes. Uma noite para tentarem encerrar a sua frustração de não poderem ter filhos biológicos e tentarem seguir com as suas vidas, escrevem algumas caraterísticas que gostavam que um seu filho tivesse e põem esse registo numa caixa e enterram-na no jardim.

Misteriosamente a meio da noite, um menino sujo de terra aparece na casa do casal e apresenta-se como Timothy. É um menino com cerca de 10 anos de idade, que parece estar muito à vontade naquela casa e de imediato começa a chamar Jim e Cindy como pai e mãe.

Timothy é um menino com todas as características que o casal desejava: é inteligente, educado, amável, meigo, engraçado e com aptidão para as artes. Além destas caraterísticas, ele tem uma muito peculiar que é ter folhas nas pernas como se fosse uma pequena árvore.

O casal encara esta situação como o seu “pequeno milagre”. Apesar de não entenderem como Timothy apareceu nas suas vidas, o casal resolve apresentá-lo como filho para a família, vizinhos e colegas de trabalho, contudo, sem dizer ou mostrar as folhas que o menino tem nas pernas, escondendo-as sempre com meias compridas, com medo do que as outras pessoas possam pensar ou fazer.

Timothy começa a ir à escola e aproxima-se de uma menina que também tem um segredo. A menina tem uma mancha grande vermelha no peito que esconde usando camisolas e cachecóis.

Aos poucos e poucos, Timothy vai entrando no coração das pessoas e ás vezes sente-se capaz de falar sobre valores importantes como o ser pai e mãe, família, amizade e escondendo sempre o facto de estar a perder as suas folhas, sentindo que está a desaparecer lentamente.

O filme acaba com o casal a explicar aos técnicos do serviço de adoção, a sua experiência de terem sido pais de Timothy e o quanto desejavam poder ser pais novamente. Dias mais tarde, os mesmos técnicos do serviço de adoção vão ter a casa de Jim e Cindy com o objetivo de lhes entregar uma menina para eles adotarem.

Apesar das crescentes dificuldades da vida atual, o desejo de ter um filho continua a ser uma situação comum das famílias em todas as épocas. Não obstante isso, sempre houve também casais que, por várias razões, decidem não ter filhos, mas estes ainda são uma minoria. Segundo estudos conhecidos, pode dizer-se que a grande maioria dos candidatos à adoção de crianças, tem na origem do seu pedido a impossibilidade de ter filhos biológicos por razões de infertilidade.

Todavia e frequentemente, alguns dos candidatos à adoção de crianças são casais já com filhos e cuja a motivação, é de ordem psicológica, social, humanitária, bem como de solidariedade para com aquelas que não têm famílias.

A adoção é um ato magnífico de amor, provindo de famílias “suficientemente boas”, capazes de proporcionar à criança um ambiente seguro, estável e uma relação de grande amor e afeto que permita o seu crescimento e maturidade, tendo em vista um adulto saudável e responsável.