Que toda a corte celestial, nos valha, venha ela de onde vier…

por PN | 2019.09.18 - 11:31

O nosso inefável e estimado Sobrado, vereador da cultura, do turismo e de não sei mais quantos pelouros (a propaganda é pelouro?) é um ecuménico convicto. O que muito louvamos, na sua porfiada luta em prol da unidade entre todas as igrejas, no respeito pela sua diversidade e na reunião de todo o mundo cristão ou não cristão. Este apóstolo da união, muito parece afincar-se neste seu missionarismo e na intensa pugna de, independentemente das crenças, prestar culto a um só Deus.

Por isso, se ao domingo, bem acolitado, as suas preces vão para a Santa Eufémia, à quarta feira elas erguem-se em coro com a do pastor luterano local.

E no-lo diz com aquela sua tão tocante singeleza, quiçá candura que tanto lhe admiramos, ademais com humildade confessar e contrito afirmar: “Sou o que sou (com todos os indisfarçáveis defeitos)…”

Um missionário do ecumenismo é uma inestimável ferramenta, mormente num executivo onde cada vez mais cultos, cultores, cultivadores e cultivados se entrechocam na praxis política quotidiana.

E se nós bem sabemos que não se devem misturar a Igreja e a Política, dá-nos renovada fé saber da confessada existência de mensageiros da união e evangelistas da pluralidade.

As nossas emocionadas felicitações, caríssimo Jorge, mesmo se em tempo de eleições, há verdades que um coração crente, na sua mística, não consegue mais calar.

Paulo Neto

(Fotos DR)