Que Adamastor é este, a quem Almeida Henriques se rendeu?

por PN | 2017.02.11 - 22:30

 

O espaço internet do Fontelo (espaco.internet@cmviseu.pt.) cuja página já desapareceu dos motores de busca, era composto por três salas, duas para estudo e acesso net e uma terceira dotada de computadores, com livre acesso aos utentes, maioritariamente estudantes das escolas e universidade mais próximas.

Entretanto, Almeida Henriques (?) decidiu entregar a sua exploração a uma empresa chamada ADAMASTOR, Associação Cultural, vocacionada para intercâmbios Erasmus e outros, formação, voluntariado, oportunidades, desafios, juventudes, segundo eles próprios no seu site.

Ver aqui http://adamastor.org.pt/

A esta empresa já havia sido entregada a Pousada de Juventude, do outro lado da estrada, junto ao IPDJ, passando a ser a ADAMASTOR HOUSE.

Ver aqui http://adamastor.org.pt/adamastor-house/

Ao que parece e carece de confirmação, a CMV privatizou um espaço público, feito com dinheirosa públicos. Porquê? Por estar necessitada de dinheiro? Para se tornar uma potenciada mais-valia para os utentes?

Pois, parece que não. Pelo menos, para já… Pois que das três salas abertas ao público, uma foi já encerrada, ficando apenas uma sala para estudo onde se amontoam os estudantes-usufrutuários.

Hoje, 11 de Fevereiro, a meia tarde, foi afixado um aviso onde consta que a sala principal será encerrada a partir do dia 12 de Fevereiro, ficando reservada para outros fins.  De quem? Da empresa ADAMASTOR? Quais fins?

Mas afinal que justificação há subjacente a este agir? Quem é esta empresa? Porque, para quê e como ganhou a adjudicação do espaço net e da pousada para jovens?

Até aqui, o Gigante Adamastor, era uma figura mitológica criada por Camões para significar todos os perigos, as tempestades, os naufrágios e “perdições de toda sorte” que os portugueses tiveram de enfrentar e transpor nas suas viagens. E hoje?

Saber mais com filme sobre a inauguração do espaço por Fernando Ruas:  https://vimeo.com/1024360

 

(fotos e vídeo DR)