PS Viseu num “corridinho” animado…

por PN | 2016.12.23 - 16:56

 

 

 

Decorreu ontem animadamente a reunião da comissão política concelhia do PS Viseu.

Como é do conhecimento público, Viseu era dos poucos concelhos do distrito onde não se conseguia encontrar um candidato credível para as autárquicas 2017.

Todavia, no calor da refrega, uma voz se ergueu e prontificou para ir à luta. Engane-se quem pense ter sido a do novel secretário de Estado da Juventude e Desporto, ou do segundo da federação, Miguel Ginestal, ou mesmo do “principal” comendador Borges…

Não, nenhum se prontificou a dar o peito às balas. Estão todos servidos por ora e sem disponibilidade para um exercício de cidadania mais local, rendidos ao apelo da macrocefalia central.

Lúcia Silva está disponível para ser candidata à câmara de Viseu pelo PS, em 2017. E muito bem, pois este impasse, na política de “proximidade e coesão” do comendador Borges, o lídimo líder da distrital, já desdourava como mancha negra na imaculada camisa rosa.

Ademais com os problemas que tem no seu santuário duriense com um pré-derrotado Garcez Trindade e à sombra da Senhora dos Remédios, com a facada em Manuel Ferreira, acrescido das indefinições em Nelas, onde Manuel Marques do CDS-PP decidirá quem ganha e Vila Nova de Paiva que poderá ser uma incógnita, com a previsível coligação PSD/CDS-PP, sem falar no Sátão onde a comissão política local ainda aguarda directrizes de Ginestal, ontem o comendador Borges deve ter respirado fundo num alívio profundo…

Lúcia Silva, responsável distrital das Mulheres Socialistas, mostrou a muitos homens e mulheres a fibra da qual é feita, o voluntarismo que a anima e a persistência que a conduz.

Lutar sabendo que a derrota é certa põe muito homenzinho em fuga e tira alento a muita senhorita…

Agora uma coisa é certa e esta já ninguém lha poderá negar: a obrigatoriedade da inclusão em lugar elegível do seu nome nas listas dos candidatos à Assembleia da República, nas próximas legislativas.

Curial é só saber quem fica de fora: Borges, Rebelo, Moutela ou Cruz?