PEDRO E PAULO APLAUDEM OS ANTÓNIOS

por José Carreira | 2014.09.10 - 10:00

 

 

Pedro Passos Coelho e Paulo Portas foram telespectadores atentos do debate entre Costa e Seguro. Os governantes estarão hoje bem-dispostos, talvez acordem com a adrenalina e a motivação renovadas, em função da paupérrima prestação dos socialistas.

Ainda assim, Seguro não esteve tão mal como o seu opositor que pareceu, ao longo de todo o debate, anestesiado, demasiadamente defensivo, “encolhido” na cadeira…

Perdeu-se uma boa oportunidade para esclarecer os portugueses. Apontar uma possível descida do IVA da restauração, como medida futura, é manifestamente escasso. Seguro também fez uma promessa, demitir-se-á, se for Primeiro-Ministro, caso se veja obrigado a subir os impostos. A montanha pariu um rato, Costa não se conseguiu afirmar como um líder com pulso firme e rumo bem definido. Foi mesmo acusado de fazer “ziguezagues”. Teve sempre dificuldade em reagir aos ataques e quando o fez nunca foi convincente.

Quem está zangado com a atual governação tem razões para ficar preocupado. Não se vislumbram bons motivos para ver num dos candidatos às primárias do PS um alternativa ao governo da coligação CDS / PSD.

Ganha muita importância o segundo debate. Os portugueses esperam que nesse round se discutam os problemas do país e apresentem soluções que possam ajudar a resolvê-los. Caso contrário, ganhará a abstenção e aplaudirão na poltrona Pedro e Paulo.

Consensual? António Guterres é o melhor candidato presidencial!

Será? Quererá regressar ao pântano?