Opá, só morre quem quer!

por Eme João | 2015.02.05 - 14:13

Todos os animais, inclusive os seres humanos, estão motivados para satisfazer as suas necessidades fisiológicas tais como alimentação, por exemplo, de forma prioritária tendo em vista a sua sobrevivência. Essa motivação é o impulso interno que vai desencadear a acção de procurar alimentos para satisfazer essa necessidade básica.

Maslow, um psicólogo humanista, desenvolveu um estudo sobre a motivação esquematizando o mesmo sobre a forma de pirâmide onde a motivação iria surgir das várias necessidades dispostas hierarquicamente. Estando na base as necessidades primárias (fisiológicas) e no topo as necessidades de auto-realização.

Resumindo, todos os seres têm como necessidade primordial satisfazer as suas necessidades fisiológicas de forma a sobreviverem.

Parece-nos óbvio que alimentarmo-nos não é uma questão de opção exceptuado algumas patologias do foro psicológico em que o sujeito recusa alimentar-se.

Mas há uns dias, o responsável pelas Misericórdias disse numa entrevista que em Portugal só passa fome quem quer, e que ser pobre é uma questão de auto-estima.

Ainda a minha indignação não tinha acabado, quando nas notícias oiço o primeiro-ministro em relação ao acesso a medicamentos contra a hepatite C, dizer: “os Estados devem fazer tudo o que está ao seu alcance para salvar vidas humanas mas não custe o que custar”.

Já quando se trata de salvar a banca, a história é outra. Isso sim, porque as pessoas não interessam nada.

A verdadeira miséria é esta. Somos governados por homens moralmente miseráveis, socialmente insensíveis, para quem a vida humana é qualquer coisa que se deve salvar mas só se for baratinho.

Pelo andar da carruagem depois de ouvirmos tanta atrocidade, ainda vamos ouvir que só morre quem quer….

Nasceu em Lisboa em 31/10/1966. Estudou psicologia no Ispa. Trabalha actualmente no ISS.

Pub