Olimpismo

por Vitor Santos | 2016.06.23 - 15:54

 

O Olimpismo tem como princípios a amizade, a compreensão mútua, a igualdade, a solidariedade e o “fair play” (jogo limpo). Numa época em que importantes eventos desportivos são manchados pelas mais diversas situações antidesportivas é sempre oportuno realçar os valores que estão na génese do olimpismo.

A sociedade atual é muito desprendida de valores éticos-morais e despreza os bons princípios. A inveja pelo sucesso dos atletas/equipas e o desconhecimento que se tem do que é a prática desportiva traduz o desporto a um nível do mais fraco “reality show”.

Mas, mais que uma filosofia desportiva, o Olimpismo é uma filosofia de vida. A ideia é que a prática destes valores ultrapasse as fronteiras do desporto e influencie a vida de todos onde esses valores devem ser aplicados no dia-a-dia, para a vida. O desporto é uma atividade composta de valores morais, dado que além da formação pessoal, também passou por transformações próprias do momento histórico em que surgiu, desenvolvido e praticado. No entanto existem valores éticos imprescindíveis para o desenvolvimento do mesmo como o fairplay.

Pierre de Coubertin, fundador dos Jogos Olímpicos da Modernidade, defendia uma educação desportiva em que o desporto fazia parte integrante na rotina escolar, abrangendo o corpo e a mente e em que a força moral na juventude poder-se-ia desenvolver através da experiência individual do desporto e estender-se por toda a vida. Mais importante que a vitória nas competições era a participação – a disputa. E assim nasceu o Olimpismo que se refere ao conjunto de valores pedagógicos e filosóficos do Movimento Olímpico, e não apenas os Jogos Olímpicos. Uma escola de vida!

No símbolo olímpico destacam-se a bandeira com os anéis entrelaçados. Criado em 1913, cada um dos anéis coloridos representa um continente: o azul refere-se à Europa, o amarelo à Ásia, o preto à África, o verde à Oceânia e o vermelho à América. Estas cores estão presentes em quase todas as bandeiras dos países do mundo.

Assim, o respeito, a coragem, a determinação, a inspiração e a igualdade são valores olímpicos por excelência, que funcionam como um Código de Conduta do Movimento Olímpico e buscam nortear as ações de todos os envolvidos nas atividades olímpicas, sejam elas competitivas, administrativas ou voluntárias. O Olimpismo consiste, assim, num conjunto de valores pedagógicos e filosóficos defendidos pelo Movimento Olímpico.

Hoje comemora-se o Dia Olímpico que tem como objetivo divulgar o desporto e o bem-estar nos jovens, assim como os valores olímpicos – excelência, amizade e respeito. Este comemora-se desde o ano de 1948, marcando uma das mais relevantes datas do Movimento Olímpico: o nascimento dos Jogos Olímpicos da Era Moderna.

 

 

Vitor Santos nasceu em Viseu no ano de 1967. Concluiu o Curso de Comunicação Social no IPV. Conta com várias colaborações na Imprensa Regional. Foi diretor do Jornal O Derby.

Pub