O MUNDO É VELHO, NÃO É VERDADE?!…

por Cílio Correia | 2017.02.12 - 17:04

 

 

Na última campanha autárquica encontrei um amigo doutras andanças que já não via há algum tempo. Depois de alguns minutos de conversa, ficou-me uma frase: “O mundo é velho, não é verdade?!”…

A ideia ficou. O diálogo prosseguiu. Como de costume, quando há algo que não quero perder, anotei a frase. Um dia destes tropecei nela. Achei por bem repredestiná-la, porque foi proferida por alguém a viver distante das certezas que se desmentem a si próprias ao virar da esquina. Não quis perder o registo de quem se habituou a ver passar ilusões à frente da porta de casa e do muro do quintal. “O mundo é velho, não é verdade?!” – uma frase simples dum homem da rua, reformado, agricultor e com a 4ª classe “antiga”.

Interpretei-a como referindo-se ao efémero da vida moderna, habituado que está a dar tempo ao tempo… Dei-lhe um significado que transcende a conversa informal alinhavada na soleira da porta, sentados num banco de pedra com um coberto de madeira. Na aldeia, o seu trabalho era rastrear quem entra e quem vai. Parece um paleontólogo social a perscrutar os sinais dos tempos. Foi dum destes paleontólogos que saiu a interrogação: “o mundo é velho, não é verdade?!”… Parece que sim.