O merecido Grammy Latino para José Cid

por Carlos Cunha | 2019.08.23 - 12:12

José Cid é um nome incontornável na música portuguesa, tendo uma carreira no mundo da música com mais de sessenta anos, preenchida com muitos sucessos.

Sou ouvinte de José Cid há muitos e bons anos e cliente assíduo dos seus concertos, que, por vezes, chegam a ter mais de duas horas e meia, o que é notável para um homem da sua idade, que ainda tem energia para dar e vender.

Quando assistimos a um concerto de José Cid vemos como o seu reportório é vasto constituído por tantos e tão bons êxitos, que quase todos conseguem trautear.

Acreditem que José Cid, algumas vezes autobiográfico, até fez um invulgar epitáfio, onde pede que se trauteiem as suas canções no regresso a casa, depois de o deixar em paz na última morada. Os primeiros acordes de temas como “Eu nasci para a música” ou “Adio adieu auf wiedersehen goodbye” conduzem-me invariavelmente até à pista de dança. Mas se estou em casa ou vou no carro ao ouvir estas músicas tenho quase automaticamente de pôr o volume bem alto, ao mesmo tempo que as vou procurando trautear, diga-se em abono da verdade, com muito pouco jeito, pois, tenho um péssimo sentido de afinação.

Irreverente, genial, umas vezes compreendido outras esquecido é, como ele gosta de dizer, um mito vivo, que vê o seu genial talento e as suas fantásticas músicas reconhecidas internacionalmente com a atribuição do Grammy Latino, prémio carreira de enorme prestígio mundial, atribuído até ao presente apenas a um português: o fadista Carlos do Carmo, que o recebeu em 2014.

O menino prodígio Cid encheu-se finalmente de merecido prestígio! A mim seu comum admirador resta-me agradecer-lhes o incomensurável prazer que me dá ouvi-lo hoje e sempre e deixem dizer-vos com orgulho que gosto tanto que ele seja português e cante na nossa língua!

Carlos Cunha

(Foto DR)

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub