O melhor para Penude…

por Manuel Ferreira | 2016.06.20 - 07:51

 

 

Muito intensos têm sido o ruído e a desinformação depois dos resultados das eleições intercalares de Penude. É que ganhar umas eleições democraticamente não significa depois ter uma prática do “quero, posso e mando”.

É verdade que a coligação PSD e CDS/PP ganhou as eleições intercalares. Contudo, não as ganhou com maioria. Assim, o eleito Presidente e a força política que o suporta devem ter a humildade democrática de assumir as limitações impostas pelo resultado expresso nas urnas. Assim, os resultados sugerem que os vencedores não deviam ter tido um comportamento unilateral, impondo como única solução governativa uma composição do executivo à base de membros da lista da Coligação. É necessário saber realizar uma leitura inteligente dos resultados, isto é, sensata e equilibrada, e não abusar ou ficar deslumbrado com o poder recentemente adquirido.

Em todo este processo de escolha dos membros para formação do executivo da Junta,  o PS e o seu candidato têm tido um comportamento responsável e empenhado, não abandonando o seu eleitorado e a confiança que este neles depositou. Se existe algum bloqueio à construção do executivo e ao normal desenvolvimento do processo, esse é resultado da exclusiva teimosia e autoritarismo da Coligação PSD e CDS/PP e do eleito Presidente da Junta.

Fazer uma gestão de uma Freguesia, nas condições saídas dos resultados eleitorais de 03 de Abril, exige negociação, disponibilidade, diálogo, consensos, algo que a força política que ganhou parece não saber ou não querer fazer.

O PS continuará sereno e tranquilo, na convicção de que deve respeitar o eleitorado que nele confiou e que lhe conferiu três mandatos.

O que estará em causa será sempre o melhor para Penude…

 

 

 

Manuel Ferreira tem 49 anos e nasceu em Lamego. Casado, dois filhos. É licenciado em Filosofia pela Universidade de Letras do Porto. Possui a Especialização em Administração e Gestão Escolar e é Mestre em Filosofia em Portugal e Cultura Portuguesa. Militante socialista desde 1996, foi membro da Assembleia Municipal de Lamego entre 1997 e 2001 e Secretário do Gabinete de apoio do pessoal do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lamego entre 2001 e 2005 e membro da Comissão Política durante vários anos. Atualmente é Presidente da concelhia de Lamego do PS e membro da Comissão Política da Federação de Viseu.

Pub