Nelas – o fundo da CIM?

por Alexandre Borges | 2019.05.14 - 17:41

Recentemente foi apresentado pela Ordem dos Economistas e com o contributo de inúmeras entidades oficiais o Ranking Municipal Português 2018 (RMP), tentativa de orientar as 308 autarquias portuguesas segundo quatro critérios principais.

Aqui no Rua Direita já houve quem abordasse o tema e manifestou preocupação com o facto de a autarquia de Viseu já não estar classificada entre as 30 primeiras, ao contrário do que acontecia no ranking de 2016, o que, de alguma forma, se compreende.

Aqui mais junto ao Mondego, no Concelho de Nelas, habituados que estamos a que os autarcas que governam nos últimos anos nos digam que somos o “Centro do Centro” e o farol do bem-estar na região, julgaríamos que não há motivo de preocupação. É-nos constantemente vendida a ideia que com este executivo as contas da Autarquia foram postas em ordem e que o futuro é radioso. É nos afiançado que antes deles era o caos e depois será o inferno.

Mas, consultado o RMP, e como não estamos a consumir propaganda barata e parola, verificamos que Nelas se encontra na posição 250 de 308. Constatamos mesmo que Nelas é o 13º pior município português no que concerne à sustentabilidade financeira. Se considerarmos a CIM onde se insere, Nelas é o pior município da Comunidade Viseu Dão-Lafões. Um “orgulho” certamente para todos os autarcas e responsáveis que insistiram e insistem em apoiar quem é e foi responsável pelo depauperar das finanças e do futuro do concelho.

Com a inexorável avanço temporal tornam-se cada vez mais evidentes os dislates e desvarios a que todos somos sujeitos e onde é que eles nos levarão em breve. Para já estão preparados mais uns milhões de empréstimo e continuamos, alegremente, no caminho de mais uma ruína. Ruína que será paga por todos e não, como deveria, por um grupo de deslumbrados liderados por uma espécie de autista que, julgando-se no “Centro do Centro”, nos coloca no fundo da CIM.

Alexandre Borges

Natural de Canas de Senhorim. Licenciado em geologia pela UC. Virulentamente bombeiro. Gosta de discussões cordiais, de vaguear pelo mundo munido de auscultadores.

Pub