MERENDAR NO CAMPO

por Cílio Correia | 2017.02.16 - 16:29

 

Uma das boas memórias do tempo das sementeiras, descamisadas e colheitas são as merendas no campo no intervalo dos trabalhos agrícolas, no pico do Verão, ou de sachar as batatas e o milho, entre Maio e Junho.

Sachar consistia no trabalho de descaroçar a terra enrijecida e retirar ervas daninhas crescidas no meio dos cordões de videiras e canteiros hortícolas. Era um trabalho paciente, a exigir costas vergadas à mercê dum sol tórrido. Envolvia ranchos de pessoas e a quem se pagava uma jorna combinada, no final do dia, com comida ou sem comida. Mais à frente, vinham as descamisadas. Quando se juntava um bom rancho, era certo haver, a meio da tarde, uma merenda. Procurava-se um sítio recatado, à sombra duma árvore ou latada, o pessoal aninhava-se, estendia-se uma toalha no chão e a merenda saia duma cesta de vime ou gamela: broa de milho, papos-secos, carcaças, vinho, azeitonas, melão, tiras de presunto, uma panela de arroz com carne embrulhada em papel de jornal e bacalhau frito. O vinho em garrafão já estava no fresco, pendurado por uma corda no poço, atada à asa, e era um ver se te avias.

(fotos DR)