Mas há esperança, vem aí 2014!

por Iara Martins | 2013.12.27 - 14:53

Cá estamos… altura de enjoo de festas, de pessoas que só encontramos uma vez no ano, seja família ou conhecidos, de despesas estúpidas com presentes supérfluos, de noites mal dormidas por excesso de bacalhau e doces, que acabamos invariavelmente por enfiar neste fastio o ano que finda.

E lá vem a esperança infantil , só porque o calendário altera um algarismo, de que o próximo ano vai ser melhor. Que o Mundo vai ser melhor! Que vai haver muita Paz e muito Amor!

E obrigamos nos a divertir para comemorar uma data que se repete todos os anos, mudando só o algarismo, e fingimos acreditar que nos divertimos e entramos no novo ano ainda mais enfastiados e ressacados do que estávamos no anterior.

Esquecemos logo os desejos que acompanharam as uvas-passas que simbolizam a esperança de mudança. Isto para quem consegue em tão pouco tempo pensar em 12 desejos…

O problema é que no primeiro dia do ano já estamos aborrecidos por nenhum desejo se ter concretizado…Calma, calma tanto mais que ficam 364 dias para isso acontecer!

Para grande parte de nós o 1º desejo, o tal a concretizar a 1 de Janeiro é mesmo “guronsan”, uma boa noite de sono e que parassem de repetir que há todo um novo ano pela frente que vai ser espectacular!

Desejo este que muitos de nós ainda não viu concretizado: ou porque não nos lembramos, ou porque se lembramos, não nos divertimos!

Mas há esperança, vem aí 2014!

Licenciada em Fiscalidade mas que não gosta de números. E acredita que ontem, hoje e amanhã é a Liberdade!

Pub