João Félix e a irresistível atração pelo mediatismo

por Carlos Cunha | 2019.06.30 - 11:20

O circo mediático que passou a acompanhar o jovem viseense João Félix assentou arraiais esta semana no Rossio, a convite do Presidente Almeida Henriques.

O circo mediático entrou na vida do jovem João quando este passou a valer 120 milhões de euros, e agora, ainda que por simpatia, são muitos aqueles que querem estar perto dele, fruto do precoce sucesso que alcançou.

Quero também dizer-vos que não sendo benfiquista lá me desloquei, com prazer, até ao Rossio para acompanhar o meu sobrinho, benfiquista ferrenho e admirador fervoroso do talento e das qualidades futebolísticas do jovem prodígio viseense. Almeida Henriques irradiava felicidade, conseguindo com mestria fabricar um número mediático de âmbito nacional, que foi notícia de telejornal e capa de jornal desportivo, para além de uma ampla cobertura jornalística, repassada vezes sem conta nas redes sociais.

Foi, portanto, um momento de projeção nacional e internacional que saiu barato a Viseu. Podemos mesmo afirmar que os 30 minutos que João Félix passou na Câmara de Viseu trouxeram mais retorno, do que um ano inteiro de promoção gastronómica, que deve dar mais prejuízo do que retorno, não porque em Viseu não se coma bem, mas sim porque se trata de uma campanha fraquinha, de que é exemplo o raquítico carro alegórico alusivo a Viseu destino de gastronomia, que encerrava o cortejo das Cavalhadas de Vildemoinhos deste ano.

Nele podia-se observar uma mescla de produtos agrícolas com flores e certamente que a qualidade do património gastronómico viseense vai muito para além disso.

Carlos Cunha

(Foto DR)

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub