Ideias de génio

por Vítor Máximo | 2019.03.30 - 11:21

Já aqui escrevi algumas vezes sobre a responsabilidade que cai nos ombros de quem assume os destinos do concelho de Viseu, também já aqui escrevi sobre a cidade sempre em festa, que tão bem serviu para ir camuflando algumas falhas na gestão da autarquia.

Contudo tudo foi correndo na normalidade entre os pingos da chuva ou da eventual falta dela.
Apesar de eu continuar a não conseguir perceber bem qual o rumo escolhido para esta cidade, se será smart ou terá de levar umas explicações à parte. Fiz como tantos viseenses e encolhi os ombros, como quem diz vamos ver no que isto dá.
Mas agora começo a ficar preocupado parece que o rumo continua incerto, as festas, essas são as mesmas e algumas embora emblemáticas foram cortadas.
A esta hora se não replicam já deviam badalar os sinos de alarme nos Paços do Concelho.
Como vamos manter a populaça entretida ?
Não creio mesmo que seja com os casamentos na feira de São Mateus que se vá abençoar a regência de Almeida Henriques.
Mas por aqui me fico pois nisto de proteções santíssimas não percebo muito.
Em todo o caso para não me acusarem de só criticar, venho desta feita deixar algumas ideias, modéstia à parte brilhantes, para de alguma forma auxiliar o nosso autarca.
Quem quer casar com um viseense ?
O que acham ?
Pelos vistos trazer Portugal a Viseu não correu como o desejado apesar dos rios de dinheiro investido. Por isso acho melhor levarmos os viseenses ao resto do país e ao mundo, somos sem dúvida gente de valor.
Segunda ideia e também ao nível elevadíssimo da primeira.
Bater o recorde mundial de pessoas vestidas de Viriato a comer viriatos no rossio … Ui!! Esta é mesmo de génio, mas fazia-se todos os meses para não perdermos o título.
Outra que deve ter escapado aos criativos do regime.
Podemos ainda fazer a versão portuguesa do aprendiz do Donald Trump.
Em que Almeida Henriques tenta ensinar como nos podemos tornar num autarca de sucesso, mas em que acabamos sempre despedidos porque ninguém sabe tanto quanto ele.
Não queria ser tão gozão mas foi inevitável. Temos mesmo de ficar preocupados quando tudo o que deve ser feito nem sempre o é e devemos ficar em pânico quando para festas já não há ideias.

 

Victor Máximo
Secretário da Comissão
Política Concelhia CDS-PP

Educador de infância. Militante CDS-PP

Pub