George Michael

por Carlos Cunha | 2016.12.27 - 06:37

 

 

O ano de 2016, que está quase a terminar, fica marcado pelo desaparecimento de alguns ícones mundiais no mundo da música, falamos de David Bowie, Prince, Leonard Cohen e mais recentemente do ex-vocalista do Wham, George Michael.

O cantor britânico, de ascendência grega por parte de pai, viria a falecer inesperadamente no dia de Natal aos 53 anos, contudo o seu enorme talento enquanto intérprete perdurará na memória de muitos milhões, que como eu cresceram a ouvir e a dançar as músicas dos Wham ou aquelas que, mais tarde, cantaria a solo como a inesquecível Fredoom.

Os Wham marcaram parte da década de 80 com músicas como Last Christmas ou Wake me Up before you go-go. O fim dos Wham aconteceria em 1986, tendo George Michael prosseguido uma carreira a solo recheada com alguns sucessos musicais e também por problemas com as autoridades, devido ao abuso de álcool e droga.

Recordo-me bem do tempo dos Wham, na altura apenas havia dois canais na televisão pública e ao sábado dava o Top+, um programa de música, que raramente perdia e cujo primeiro lugar nos LP’S e Singles foi, várias vezes, dominado pela banda de George Michael e Andrew Ridgeley.

Quando ainda havia Day After em Viseu, as músicas dos Wham e de George Michael eram de passagem obrigatória e a energia que continham fazia com que a pista de dança se enchesse. Ainda hoje, quando saio à noite, o que vai sendo mais raro, ao ouvir as músicas dos Wham sinto uma vontade irreprimível de dançar como se retrocedesse quase 25 anos e revisitasse um tempo que já não existe.

Cá por casa, George Michael também fez parte da adolescência da minha mulher, que juntamente com as irmãs comprava a Revista Bravo para poder colecionar os posters do ídolo musical de então, com os quais forrava as paredes do quarto ao mesmo tempo que lhe despertava a vontade de aprender as letras das músicas e o seu significado.

George Michael acabou por partir cedo demais, mas viveu o tempo suficiente para que algumas das músicas que interpretou magistralmente e que nos emocionam se tornassem património de todos aqueles que, como eu, o admiram pelo seu inesgotável talento e qualidade vocal.

 

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub