Europa e os Direitos Humanos

por Vitor Santos | 2014.12.10 - 15:51

 

Apresentando-se como um mosaico geográfico de nacionalidades, línguas e comunidades culturais diversificadas, simultaneamente «sujeito e objeto de fluxos culturais planetários», a Europa viu nos últimos anos intensificar-se essa diversidade, fruto das profundas mutações políticas, sociais, económicas, tecnológicas e culturais, que os fenómenos migratórios acentuaram.

Na construção deste espaço europeu renovado, importa assim, não perder de vista o caracter pluricultural das sociedades que o enformam. E necessário se torna também que todos aprendam a ver o mundo com outros olhos, a viver tempos de mudança rápida e incessante.

A coexistência harmoniosa das diferentes comunidades não pode ser entendida sem a adesão às palavras de Lévi-Strauss “la découverte de l´altérité est celle d´un rapport, non d´une barrière (1)” ou, no dizer de Eduardo Lourenço “o encontro com os outros é o verdadeiro encontro connosco”.

Respeitar e proteger a dignidade e os valores inerentes a cada ser humano, combatendo toda e qualquer forma de discriminação, constitui certamente uma das metas a atingir nesta primeira metade do século através de ensino e cumprimento dos Direitos Humanos.

A reflexão sobre a atualidade da Declaração Universal remete-nos para a formação do carater das pessoas. É urgente que se promovam ações que estimulem o conhecimento desta grande lição moral que são os Direitos Humanos.

O desporto é um bom exemplo da convivência, numa mesma equipa, de atletas de várias origens. Não sendo perfeito é ainda o melhor.

 

 

(1) “Descobrir a alteridade é descobrir o que nos une, não o que nos separa” (trad.livre)

 

 

Vitor Santos nasceu em Viseu no ano de 1967. Concluiu o Curso de Comunicação Social no IPV. Conta com várias colaborações na Imprensa Regional. Foi diretor do Jornal O Derby.

Pub