Estamos em Folgosinho!

por Paula Branco | 2016.10.10 - 18:05

Não é esta a praça da Figueira nem o jardim da Estrela! O afamado palco privilegiado pelo insigne Ary dos Santos para que desfilara o perdurável “Homem das Castanhas”. Estrela sim, mas da Serra. Esse pulmão vivo da natureza, onde poetas e poetisas se imortalizam, porque, em cada canto deste recanto, há um verso cristalino e espontâneo a correr por entre ruelas a anunciar o excelso cântico de velhas lendas desse Viriato que foi existindo e entrou na realidade como um Fado, fadando-nos a este destino!

Estamos em Folgosinho! Terra de poetas que alimentam a Serra e dão alma às tradições que irrompem de fontes hermínias, como quem corta, a cada bruma da manhã, as muralhas desses segredos furtivos, ainda hoje sussurrados nos diálogos das giestas. E assim, no ar puro, murmuram ecos do passado, risos de crianças sugando, em cada história, a aventura inocente da Serra Infância.

São também os putos que fazem mais rubra a brasa desta fogueira, onde a castanha é a rainha e a festa sempre bem-vinda!